VOCÊ ESTÁ POSICIONADO E TUDO MUDOU. E AGORA, STOPA OU SEGURA?

COMO SEI SE VAI SUBIR OU CAIR
17 de julho de 2020
VOCÊ GANHOU OU PERDEU NOS ÚLTIMOS DIAS?
18 de julho de 2019

Quem nunca passou pela seguinte situação: você entra em uma operação, algo inesperado acontece e se questiona: “e agora, o que devo fazer?”.

Saiba que essas situações fazem parte do nosso dia a dia no mercado e jamais conseguiremos nos livrar delas. E detalhe: quanto mais tempo demoramos em decidir o que fazer, mais vulnerável ficamos.

Por maior que seja o desconforto causado por essas situações, a vulnerabilidade não está no mercado. Na realidade, a vulnerabilidade está em nossa mente, pois a realidade está ali, clara e visível na tela.

Para facilitar o entendimento do tema de hoje, apontarei duas circunstâncias, sendo que a segunda decorrerá da primeira.

Pois bem, a primeira se refere a uma conversa que tive com outro trader. Falávamos sobre stop e debatíamos o quão rígidos devíamos ser para não deixarmos o preço fugir, se é uma boa ou não a utilização de stops automáticos, entre outras coisas.

De repente, esse meu amigo parou e trouxe uma reflexão que até aquele momento eu não tinha parado para pensar. Ele disse: “tudo isso pode ser válido, André, mas é preciso também levar em conta os momentos em que o mercado chama”.

E o que seria isso?

Imagine que o mercado esteja normal, você consegue enxergar os movimentos com clareza e não sente dificuldades em stopar dentro do previsto. O problema surge quando você abre uma posição (e aqui, estou considerando que o trade tem sentido), mas algo inesperado acontece e vem uma forte agressão da ponta contrária. A partir deste instante, o mercado te obriga a tomar uma decisão em um cenário que você não esperava, totalmente imprevisível.

Essa próxima decisão é que é importante. Quando o mercado te leva para o risco e a situação fica atípica, qual seria a melhor atitude para o trader?

Eu nunca havia parado para pensar conscientemente sobre este tema. Daquela conversa pra frente, ficou nítido para mim que há dois tipos de stops: o stop normal e stop que o mercado chama. Em relação a este último, ou você stopa e assume aquele prejuízo acima do previsto, ou então reavalia a posição em cima do que a condição de mercado vier apresentar.

E justamente nas situações de quem escolhe avaliar a posição é que está o enredo da segunda circunstância.

Eu tive uma experiência nesse sentido, que foi o dia em que mais fiz dinheiro no trading. Eu estava posicionado com um grande lote na compra e surgiu um grande fluxo vendedor atípico (um grande player stopou e em uma única boletada, derrubou o mercado de dólar em mais de 12 pontos).

Conheça e respeite o seu degrau financeiro

Apesar da queda brusca, eu notava que o mercado permanecia muito comprador. Foi aí que surgiu o dilema se valia ou não insistir no trade. Ao optar por insistir no trade, a primeira coisa que fiz foi observar o meu degrau financeiro, isto é, saber o quanto aceitaria perder em uma operação e o quanto aceitaria perder no dia.

Naquele dia, a perda que vinha experimentando estava dentro do meu degrau financeiro (eu aceitava aquela perda como risco do negócio). Se acontecer algo parecido com você, avalie se a perda não ultrapassa o limite pré-estabelecido. Stope imediatamente, pois a reavaliação do cenário te colocará no risco de fazer médio e acabará comprometendo todo o seu capital disponível para o trading.

Mais do que a proteção do financeiro, o que eu quero deixar claro neste artigo é que o stop faz parte do nosso dia a dia. Um trader que não aceita stopar equivale a um lutador de MMA que não quer aceitar levar socos quando entra no ringue.

 Essas situações imprevisíveis são as precursoras da espiral negativa. Você não stopa, faz preço médio, o mercado continua vindo contra a sua posição e quando você se dá conta, entregou todo o capital para o mercado.

E o que devo fazer para evitar permanecer nesse tipo de situações?

Para estar atento e sair da rota da espiral negativa, duas atitudes pré-trades costumam ajudar muito.

A primeira é reconhecer o seu perfil operacional. Se ele for mecânico, assim que entrar na operação, tire as mãos do teclado e do mouse e deixe a operação correr. Se pegar o stop, vida que segue e parta para a próxima.

Agora, se você tem um perfil mais discricionário, como no scalping, a premissa é sair da operação assim que as variáveis que motivaram a minha não se fizerem mais presentes. Não deixe o mercado caminhar contra a sua posição. Se não aconteceu o que você inicialmente esperava, é porque o trade deu errado e a melhor coisa a fazer é stopar.

A segunda atitude é definir claramente o seu degrau financeiro, escrevendo-o no plano de trade. Quando você escreve e consulta diariamente esse documento, sua mente fortalece o compromisso com essa regra, evitando permanecer na rota da espiral negativa.

Coloque em prática as orientações aqui descritas e colha os benefícios da disciplina e regularidade.

Grande Abraço e Atitude Vencedora Sempre!
André Antunes

E se você tem interesse em conhecer mais, recomendo que Matricule-se agora mesmo no Programa Gratuito Formação de Trader

INSCREVA-SE GRATUITAMENTE NA FORMAÇÃO DE TRADER