UMA DAS DIFERENÇAS ENTRE TAPE READING E ANÁLISE TÉCNICA

AS HABILIDADES DE SUCESSO NO DAY TRADE
21 de julho de 2019
POR QUE O MERCADO NEM SEMPRE RESPEITA NÍVEIS DE PREÇO?
23 de julho de 2019

No artigo de hoje, não falarei sobre assuntos técnicos de mercado. A ideia será comparar o processo de aprendizagem dos métodos de leitura de mais ensinados atualmente pelos cursos de formação em day trade (Análise Técnica e Tape Reading) e por fim, apresentar minha opinião sobre a maior vantagem que o Tape Reading entrega em termos de ensino.

Antes de falar propriamente sobre os processos de aprendizagem, gostaria de esclarecer um equívoco muito comum para quem nunca ouviu falar de Tape Reading e que é erroneamente explorado por muitos defensores da Análise Técnica. Ao contrário do que a maioria prega, Tape Reading não é uma estratégia de atuação no mercado. Tape Reading é uma forma de leitura, isto é, uma forma de interpretar os movimentos que o mercado realiza, para aí sim definir uma estratégia de atuação no intraday. Da mesma forma que para o grafista é obrigatório conhecer teoria de down e padrões de candlesticks antes de executar uma estratégia, o operador de fluxo deve conhecer Tape Reading antes de definir o que é ou não uma oportunidade no mercado.

Feitas essas considerações, vamos agora tratar do tema principal deste artigo.

Análise Técnica é o estudo do passado para projeção do futuro

A maior parte do processo de aprendizagem da Análise Técnica consiste em submeter o futuro trader ao estudo do comportamento do preço no passado. Não importa a estratégia (se por sinal de indicador, padrão de candlestick, rompimento ou teste de suportes e resistências), toda a aprendizagem é construída a partir da premissa que os movimentos do passado tendem a se repetir no futuro. Logo, é preciso estudar o passado para extrair uma referência do que pode acontecer no futuro.

 O estudo do passado é justamente o motivo pelo qual a Análise Técnica ganhou mais espaço no mercado educacional brasileiro de traders de varejo. Além da simplicidade e da maior facilidade de compreensão, o processo de aprendizagem acaba proporcionando uma sensação de confiança no futuro trader, pois ele consegue ver claramente todos os sinais que motivariam sua entrada no trade, antes de realmente começar a operar.

Tal característica não está presente no Tape Reading. Quem opera a partir do fluxo de ordens parte do princípio de que não há como saber antecipadamente se o mercado vai subir ou cair, premissa esta que vai totalmente de encontro ao que preconiza a Análise Técnica (quando você estuda o gráfico, o lado direito já está pronto e é muito mais fácil de fazer uma projeção). 

Essa diferença de premissa provoca uma diferença brutal no processo de aprendizagem, já que é natural da nossa mente procurar motivos que justifiquem a amplitude ou não de um movimento (por exemplo: qualquer trader iniciante tem a curiosidade de saber o real motivo daquele movimento de 20 pontos no dólar). E neste ponto específico, o discurso da análise técnica casa perfeitamente com a necessidade apresentada.

Perceba que até o presente momento não adentrei sobre a qualidade ou não dos sinais que a Análise Técnica considera. Estou apenas afirmando que o processo de aprendizagem é mais confortável, porque ele gera a sensação de estar entendendo 100% do que é necessário para atuar no mercado, antes mesmo de operar ou aprender uma nova estratégia.

Portanto, a simplicidade do conteúdo e o conforto proporcionado ao discente são as principais razões para o grande número de traders grafistas que vemos no Brasil.

Só se aprende Tape Reading com a prática 

A mesma realidade não é encontrada por quem escolhe aprender Tape Reading. Primeiramente, porque só é possível aprender fluxo operando. Costumo dizer que Tape Reading é similar a aprender a dirigir: você pode conhecer toda a teoria, mas só vai guiar um carro ou uma motocicleta se partir para prática.

E a segunda razão da complexidade do processo de aprendizagem do Tape Reading é a dificuldade em compreender as variáveis fundamentais da leitura de fluxo. Antes de extrair informações das “ferramentas-mãe” do Tape Reading (book e histórico de negócios), é fundamental que o trader domine alguns conceitos prévios que dão sustentação a todo o processo de leitura do fluxo de ordens: microestrutura de mercado (quem, além de mim, atua no mercado), como esses outros participantes operam e como a atuação de alguns acaba impactando o preço.

Esse conhecimento prévio é fundamental porque Tape Reading nada mais é do que operar em cima do que os demais participantes estão fazendo no mercado. E você leitor há de concordar que reconhecer e diferenciar padrões de atuação é muito mais trabalhoso do que interpretar imagens gráficas, não é mesmo?

Mas André, por que então eu iria me submeter a algo mais difícil, se há no mercado um caminho mais simples?

Bem, hoje não entrarei em detalhes a respeito de resultados ou de tempo atuação no mercado. Mas a principal vantagem que vejo para quem opta por Tape Reading diz respeito ao conforto, à paz que esse método de leitura de mercado proporciona ao trader enquanto ele está operando.

Quem opera por Análise Técnica tem a dificuldade de entender e lidar com o fato de estar fazendo tudo certo e mesmo assim, não conseguir resultados. No Tape Reading, que por essência trabalha com probabilidades e não certezas, saber lidar com o imprevisível acaba se tornando parte natural do processo de aprendizagem, fato este fundamental para suportar as perdas no início de todo o processo.

Fica aqui o meu convite para você leitor se aprofundar no Tape Reading. No meu site e nas redes sociais, disponibilizo diversos materiais de qualidade que o ajudarão a dar os primeiros passos nessa seara. E o melhor: totalmente gratuito!

Espero que tenha gostado de mais este artigo.

Grande Abraço e Atitude Vencedora Sempre!
André Antunes

E se você tem interesse em conhecer mais, recomendo que Matricule-se agora mesmo no Programa Gratuito Formação de Trader

INSCREVA-SE GRATUITAMENTE NA FORMAÇÃO DE TRADER