Artigos

Trader ou Analista… Entenda porque são diferentes

Apesar de não ser um tema comum nos fóruns, chats e outros canais de informação gratuita, nós gostaríamos de explorar um ponto crucial e que quase não é percebido pelas pessoas físicas.

Você já deve ter percebido a quantidade de nome “traders” no facebook ou mesmo em descrições em sites de corretoras e outros meios. Até ai tudo bem. Só que será que todos os que se dizem traders são realmente traders?

Bom para te ajudar a entender a sutil diferença entre Trader e Analista, vou trazer a descrição de analista dada pela CVM (Comissão de Valores Mobiliários).

Os Analistas de Valores Mobiliários são profissionais que elaboraram relatórios de análise destinados à publicação, divulgação ou distribuição a terceiros. Estes relatórios são textos, relatórios de acompanhamento, estudos ou análises sobre valores mobiliários específicos ou sobre emissores de valores mobiliários determinados que possam auxiliar ou influenciar investidores no processo de tomada de decisão de investimento.

Existem analistas independentes (analistas técnicos ou fundamentalistas), analistas de sellside e analistas de buyside. Toda e qualquer pessoa física pode fazer tirar o CNPI ou o CNPI-T e se tornar um analista independente, basta passar na prova da APIMEC. Com o CNPI em mãos pode fazer um site e vender recomendações de compra ou venda. Fazer recomendações de compra ou de venda à terceiros, de qualquer natureza, sem ter o CNPI é proibido pela CVM. É comum no facebook, mas proibido!

O analista sellside é geralmente o analista funcionário de uma corretora de valores e que “vende” sua recomendação para os clientes. As corretoras vivem de corretagem o que é absolutamente normal. Algumas corretoras se especializam em atender seus clientes (pessoas físicas e institucionais) fornecendo análise de qualidade ou research, termo muito utilizado no mercado.

Já o analista buyside geralmente é encontrado dentro de Assets (fundos de investimento), fundos de pensão e bancos de investimento. Esse profissional é quem filtra as análises dos analistas sellside dos researchs e constrói sua própria análise que será apresentada no comitê de investimento juntamente com o gestor dos fundos ou da carteira. Como a recomendação é interna, ou seja, não é para terceiros o analista buyside não precisa ter CNPI.

Já o trader é todo e qualquer individuo (pessoa física ou vinculado a uma instituição financeira ou não financeira) que toma posições na compra ou na venda a fim de capturar a diferença de preços. O trader é o agente do mercado que efetivamente negocia e que toma o risco da posição.

São vários os tipos de traders e para não tornar o artigo longo, por favor, consulte o artigo O que é trader.

Então vamos explorar as diferenças entre Trader e Analista?

Se você parar para pensar, no final das contas, o que efetivamente diferencia as duas profissões é que o analista faz recomendações e o trader é quem toma o risco (com ou sem recomendação do analista). Analista não põe capital em risco. Pode, sim, pôr sua credibilidade em risco, mas não envolve capital.

Não estou em hipótese nenhuma dizendo qual é melhor e qual é pior. Estou simplesmente retratando a diferença pouco percebida entre as duas atividades. Aliás, existem analistas extremamente bem pagos no mercado. Não analistas técnicos, mas analistas sellside e buyside de algumas instituições. Inclusive, um tempo atrás, a remuneração fixa da classe de analista era maior do que a remuneração fixa da classe de traders.

Outro ponto determinante e que pouca gente sabe é que os Analistas não podem operar os ativos sobre os quais emitem recomendação, por um determinado período.

É ISSO MESMO QUE VOCÊ OUVIU!

Se não sabia disso ou se ainda não esta convencido, por favor, acesse o link e leia na íntegra a instrução 483/10 da CVM que dispõe da atividade de analista no Brasil.

Art. 4º É vedado ao analista de valores mobiliários:

III – negociar, direta ou indiretamente, em nome próprio ou de terceiros, valores mobiliários objeto dos relatórios de análise que elabore ou derivativos lastreados em tais valores mobiliários por um período de 30 (trinta) dias anteriores e 5 (cinco) dias posteriores à divulgação do relatório de análise sobre tal valor mobiliário ou seu emissor; e

IV – negociar, direta ou indiretamente, em nome próprio ou de terceiros, valores mobiliários objeto dos relatórios de análise que elabore ou derivativos lastreados em tais valores mobiliários em sentido contrário ao das recomendações ou conclusões expressas nos relatórios de análise que elaborou por:

a) 6 (seis) meses contados da divulgação de tal relatório; ou

b) até a divulgação de novo relatório sobre o mesmo emissor ou valor mobiliário.

Talvez você não soubesse disso. Não há nada errado em não saber dessa restrição e na verdade não há nada errado com a restrição. É até bom para que não haja conflito de interesse.

Só que certamente já ouviu de algum analista “ontem eu comprei Petr4, ou dólar, etc…” na verdade ele não comprou, pois não pode operar. Ele simplesmente emitiu uma recomendação e não colocou capital próprio ou de terceiros em risco.

O grande ponto aqui é que vários Analistas no Brasil se intitulam Traders.

Quer a prova disso?

Acesse o link da APIMEC com a relação de Analistas. Talvez você encontre várias Analistas, mas que se intitulam Traders. Vale a pena olhar tem muita gente conhecida por lá!

Bom, novamente quero deixar claro que não estou criticando os Analistas. Muito pelo contrário, é uma atividade séria que exige conhecimento e tem o meu respeito.

O que estou mostrando é que existem pessoas que são analistas, mas se intitulam traders. Fazer recomendação não ter nada haver com tomar risco. São coisas nobres, porém, diferentes. Quando você toma risco, você tende a se envolver e entra para um mundo novo…

Minha crítica é quanto ao embaraço que essas pessoas causam a você que está em busca de informação séria sobre mercado. Isso confunde sua cabeça, pois mesmo sem que você perceba você começa a pensar que para ser Trader tem que aprender a ser Analista!

Você merece respeito e informação de qualidade. Comece a reparar quem emite recomendação e quem efetivamente põe capital em risco e você vai se surpreender!

Quem efetivamente opera, não tem tempo e nem interesse de emitir recomendação.

Traders e Analistas têm objetivos diferentes


“Mas André, como assim têm objetivos diferentes? O objetivo não é ganhar dinheiro?”

Sim o objetivo final é ganhar dinheiro, mas de formas diferentes.

Vamos tentar abordar de uma forma alternativa: Se você perguntasse para um analista profissional qual seria o sonho factível dele em relação ao mercado, que tipo de resposta você teria? Bom, eu particularmente acredito que ele diria “eu gostaria de acertar com frequência maior para onde o mercado vai”.

E se você perguntasse a mesma coisa um trader pessoa física (que já opera há um tempo)? Bom, eu acredito que este trader responderia: “eu queria ganhar mais $”.

Se você ainda não pescou a diferença pense de forma simples. Para o analista ser reconhecido (não importa se ele é vinculado a uma corretora ou tem um research próprio) ele tem que acertar. Para o trader ser reconhecido ou bem sucedido ele tem que ganhar R$.

Eu me recordo de várias situações em que eu estava errado na minha opinião e acertei a operação. Para ser trader pessoa física, na verdade você não precisa de uma opinião sobre a direção dos preços. Você pode simplesmente replicar um setup (NÃO É O QUE FAZEMOS) ou pode simplesmente se render e reagir ao fluxo dos mercados. No artigo Price Maker e Price Taker tem uma passagem superinteressante sobre esse assunto de não ter opinião.

Para um analista acertar o lado é mérito. O mérito do trader é fazer dinheiro e muitas vezes não é necessário acertar.

Traders e Analistas têm Crenças Divergentes sobre Mercado


Primeiro de tudo você precisa entender o que são crenças. Crenças são filtros pré arranjado através dos quais enxergamos a realidade. De forma resumida, crença é o software que nos faz perceber o mundo. Um mesmo evento no mundo pode ser percebido de forma diferente por duas pessoas, justamente porque suas crenças podem ser diferentes.

Bom, e quais as crenças básicas que um analista tem? No meu ponto de vista a crença mais evidente e que diferencia um bom analista de um bom trader é a convicção. Um bom analista se mune de argumentos e cria uma opinião. Essa opinião se traduz automaticamente numa expectativa. Já que nossas expectativas são formadas sobre nossas crenças.

É um processo natural. Isso ocorre com todos nós mesmo em situações fora do mercado. Você só projeta algo que acredita, porque já viu acontecer. Você só projeta suas crenças.

A crença de um trader pessoa física consistente, por sua vez, é justamente o oposto. Um trader pessoa física que realmente sabe o que o mercado é costuma não ter uma opinião e nem criar uma expectativa rígida sobre direção de preços porque sabe que existe um enorme componente de imprevisibilidade nos mercados.

(você falando alto) “Nossa André, como assim? Como um trader não tem opinião?”

Sei que é difícil de acreditar nisso logo de primeira, mas vamos aos poucos. Lembre-se de que estou falando de um trader pessoa física e price taker, ou seja, que não tem lote suficiente para influenciar de forma significativa a história.

Esse tipo de trader não tem acesso à informação que os price maker possuem. Os price makers sim, podem e costumam ter opinião sobre direção de preço baseados em variáveis que exercem causalidade real no preço. Nós price takers operamos baseados na informação que os price makers deixam e não em nossa expectativa sobre o futuro dos preços.

Se os traders pessoa física price takers (consistentes) operam sem criar muita expectativa sobre o futuro eu estou dizendo que analistas e traders pensam diferente. Pensar diferente é a chave.

O analista é obrigado a emitir uma recomendação e esta recomendação vai prevalecer por um tempo. Mesmo que seja um analista gráfico e que esteja emitindo uma recomendação para giro curto no day trade. Esta recomendação só vem porque o analista formou uma opinião.

Já um trader pode simplesmente não achar nada. Podemos nos render ao fluxo dos mercados e deixar o mercado mostrar naquele momento que existe uma oportunidade. A diferença é sutil, mas existe e influencia muito.

Faça o teste: Pergunte a um analista o que ele acha de algum ativo. Muito provavelmente você vai ouvir uma resposta com opinião. Agora pergunte a um trader pessoa física e price taker
(que seja consistente, claro) o que ele acha de um determinado ativo. Praticamente 90% das vezes as repostas será: NÃO SEI.

Se você me perguntar sobre o que eu acho que vai acontecer com o dólar (ativo que mais opero) eu até posso te dar minha opinião. Obvio que eu tenho uma opinião. A diferença é que eu não opero baseado na minha opinião, eu opero baseado no fluxo das ordens dos price makers. Se minha opinião for confirmada no fluxo, ótimo! Se minha opinião não for confirmada pelo fluxo naquele momento, eu simplesmente não faço nada e fico esperando o fluxo dos mercados me dizer o que eu devo fazer.

Traders e Analistas têm Perspectivas Diferentes


E, por último, os traders e analistas olham o mercado por uma perspectiva diferente. Eu costumava ministrar uma palestra gratuita chamada “O que eu gostaria de ter ouvido antes de começar a operar” e nessa palestra eu falava sobre as diferenças de perspectivas.

Você pode olhar o mercado através de duas perspectivas distintas: A individual e a coletiva.

Todos nós olhamos o mercado através de nossas crenças. Lembre-se de que o mercado é um só. A verdade está lá. Como você olha para o mercado (suas crenças) definem a sua relação com o mercado. Pessoas com crenças diferentes vão olhar para o mercado de forma diferente, vão agir de forma diferente e vão ter resultados diferentes.

Se você olhar para o mercado com crenças muito individualistas, talvez só você no mundo esteja percebendo a verdade (mercado) da mesma forma. Por outro lado, se você olhar o mundo com crenças coletivas, você deve perceber o mercado (verdade) de forma similar ao que outros traders também percebem.

Bom esse assunto é longo e exigiria um artigo só para dar vários exemplos de crenças individuais e coletivas. O que gostaria que você entendesse é que o analista tende a ter um modelo para acompanhar o mercado (seja ele fundamentalista, técnico ou etc). Esse modelo não deixa de ser sua crença. Quanto mais específico for esse modelo, mais próximo da perspectiva individual este analista estará. Pegue um exemplo que a meu ver é o extremo da perspectiva individual. Imagine um trader que opera por Fibonacci. Qual a chance de mais traders estarem olhando o mercado da mesma forma que este trader? Pense bem, qual a chance de o Fibonacci ter sido traçado nos mesmos pontos e qual a chance de os tempos gráficos serem os mesmos? A chance é muito baixa.

Agora o trader price taker pode olhar o mercado de forma coletiva, ou seja, da mesma forma que mais traders olham. Nós olhamos isso através do Book de Ofertas e Histórico de Negócios. Se você souber o que olhar, você estará percebendo o mercado da mesma forma que eu, que o Antunes, e que qualquer outro trader que saiba interpretar o que está acontecendo. Basta ter as mesmas crenças.

Para finalizar este artigo volto a dizer que não é uma questão de trader ser melhor ou pior que analista. A questão é que são atividades diferentes, com objetivos diferentes e que requerem habilidades diferentes.

Grande Abraço e Atitude Vencedora Sempre,

André Antunes.

E se você tem interesse em conhecer mais, recomendo que Matricule-se agora mesmo no Programa Gratuito Formação de Trader

Tags
Ver Mais

8 Comentários

  1. Existe alguma restrição ou cobrança adicional ao fechar uma operação antes de chegar no valor pré determinado sendo um valor negativo ou positivo?

  2. Ótimo artigo. Quanto mais excessivo me torno em me alimentar de informação, vejo que estou fazendo a coisa certa. Eu já até sabia a diferença de Analista e Trade, mas entrei porque acredito que excesso de informação pode ser proveitoso pra quem sabe filtrar. Enfim, o que eu não sabia era sobre a “Proibição” de operar dos Analistas. Isso me gerou grande dúvida.

    Qual o posicionamento do CVM quanto as Salas de Análise das corretoras, em que assiste-se em tempo real as operações que estão sendo feitas pelos Analistas ? Aquilo tudo não é verdade ? ( Me refiro pra operações Intra Day)

    E no Swing Trade, também vejo Analistas de corretoras fazerem recomendações no Youtube, aliás analistas que considero muito bons por sinal, que me auxiliaram imensamente no aprendizado de Análise Técnica (quando este era meu foco). Muita vezes vemos utilizar o termo “entrei na PETR4 semana passada no call que eu dei”. Isso é PROIBIDO ? E fiscalizado por quem ?

    Desde já agradeço pelo artigo.
    Abraços.

    1. Fala Renan, tudo bem? Obrigado pelo comentário aqui no nosso site! O “Proibido” é eles entrarem em operações em conta real! Por regra da CVM, quem faz “call” de operações é proibido de operar em conta real. Eles não podem operar de fato, apenas “chamar” operações. Grande abraço.

Botão Voltar ao topo