SENSIBILIDADE NA ANÁLISE DE FLUXO DE ORDENS

DICA PARA GRAFISTAS QUE ESTÃO EVOLUINDO NO TAPE READING
30 de abril de 2019
Price Action ou Tape Reading
COMO CONCILIAR TAPE READING COM PRICE ACTION
27 de maio de 2019

Dependendo do tempo em que estiver operando no mercado, muito provavelmente você já se deparou com aqueles dias em que os movimentos parecem mais fortes, diferentes do habitual. A sensação de algo estar acontecendo nos chama atenção e nos deixa mais apreensivos porque o ritmo de negociação e a oscilação de preço do ativo alteram em ritmo e amplitude maiores do que os que estamos acostumados.

Se tomarmos por base que a maioria das pessoas que operam no mercado financeiro o fazem por meio de análise gráfica, essa alteração de percepção a respeito do mercado ocorre quando nos acostumamos com oscilações entre 0,5 e 1, no máximo 1,5%, e em um determinado dia o mercado está oscilando 2, 3 ou até mesmo 6,0%.

Certamente você estranha a rapidez dos movimentos e junto com a surpresa, vem aquela sensação de estar acontecendo algo impactante para que o mercado esteja se movimentando de forma tão atípica. Quem utiliza análise gráfica como fonte de tomada de decisão no mercado, acaba desenvolvendo essa sensibilidade, isto é, o quanto é muito e o quanto é pouco, por oscilação de preço. Geralmente, a oscilação de preço é a variável chave que te faz ter uma regulagem, comparando com o histórico mental que você já construiu, do que é típico e do que é atípico no mercado.

Mas e na análise de fluxo de ordens, como seria essa sensibilidade? Como eu relativizaria o que é muito e o que pouco?

Entendendo o que seria relativizar

Imagine que você tenha que ler um livro cujo texto seja mais complexo. Você se planeja para ler de 10 a 15 páginas por dia e depois de 10 dias cumprindo essa meta, você se depara com uma passagem muito interessante, se conecta profundamente com o texto e atinge o número de 30 páginas. Percebe como neste dia de superação o seu estado de concentração durante a leitura foi maior e isso produziu um resultado maior que nos dias anteriores?  Contudo, você só tem ideia de que conseguiu essa façanha pelo histórico que já havia construído. É a comparação com este dia atípico frente a uma amostragem anterior que permite relativizar o quanto é muito e o quanto é pouco, tomando por base a densidade do conteúdo do livro.

O mesmo ocorre quando medimos o grau de congestionamento em uma avenida. Não há como precisar, seja na quantidade de veículos, seja na velocidade, quando há mais ou menos trânsito. Só é possível dar uma opinião coerente após passarmos vários dias por aquele endereço. É com esta base comparativa que teríamos condições de relativizar o tamanho do congestionamento da avenida em um dia específico.

Com o mercado é a mesma coisa. Tanto na análise gráfica como na de fluxo de ordens, você só conseguirá desenvolver essa sensibilidade depois de muitos dias olhando para a tela. Não é algo que você aprende olhando uma foto ou lendo um livro. É de tanto olhar aquelas informações sendo constantemente atualizadas que você passa a dizer: “isso é muito, isso é pouco”.

Relativizando o mercado por meio da análise de fluxo de ordens

Diferentemente da análise gráfica, na análise de fluxo de ordens o preço é a variável que menos contribui para o desenvolvimento de sua sensibilidade. Na verdade, não é uma específica, mas sim um conjunto de variáveis que estarão diretamente relacionadas à forma em que se efetivam os negócios, e não ao preço propriamente dito.

A primeira e mais importante, pois é através dela que vamos compreender as demais, diz respeito ao “bateu/tomou”, ou seja, o quanto de liquidez (tamanho de lotes negociados) estão consumindo nas ofertas de compra e venda do ativo. A segunda variável é o tempo entre os negócios, isto é, o quão rápido ou devagar estão consumindo a totalidade de ofertas em um nível de preço.

A terceira é uma continuidade da segunda, pois diz respeito à troca de preço. Significa avaliar com que velocidade o mercado negocia em um determinado valor e já parte para consumir a liquidez no nível de preço seguinte. E por fim, a quarta é o quanto cada player está acumulando de compra/venda em um determinado período, levando em conta a métrica que você construiu ao longo do seu histórico de observação no mercado.

Para exemplificar esta última variável, podemos citar um fato atípico ocorrido em meados de 2010/2011. Alguém atuando pela corretora do BTG começou a vender uma quantidade enorme de dólar futuro logo nos primeiros minutos de pregão. Eram lotes grandes, sendo executados com muita rapidez e com boletadas igualmente grandes, aceitando vender cada vez mais barato e derrubando o mercado para níveis de preço cada vez mais baixos. Eu nunca vi este participante vender uma quantidade de lotes tão grande assim logo na abertura (eram 09h15 e o BTG já estava com uma quantidade acumulada de 15 a 16 mil lotes na venda, logo na primeira janela de abertura).

Uma atuação tão atípica e agressiva não impactaria o mercado dessa forma sem um motivo relevante. Minutos depois (às 09h40) foi divulgada uma medida cambial de IOF e o dólar, literalmente, desabou. Se não tivesse percebido a atuação atípica do BTG, talvez estivesse na mão contrária do mercado e amargaria um sério prejuízo. Apesar de até às 09:20min o preço do dólar não ter caído forma expressiva, foi a agressividade desse player que me fez considerar a possibilidade de haver algo novo para acontecer e, portanto, atuar a favor da sua posição naquele momento. Esse operacional é chamado de Front Running e nada mais é do que aproveitarmos a persistência da ordem de um certo participante e surfamos junto ao movimento que ele originou.

Como usar essa sensibilidade a seu favor

O Front Running não é a única estratégia operacional oriunda da análise de fluxo de ordens. Da mesma forma que a atuação atípica de player nos faz enxergar uma oportunidade no mercado, a falta dela também nos traz uma percepção interessante.

Imagine um cenário onde a variação de preço foi de normal para atípica, mas sem atuação relevante de algum player. Ora, se mesmo com um baixo número de lotes consumidos a variação de preço foi atípica, é de se entender que o player deslocou o preço no vazio. Logo, tendo em vista a falta de persistência na ordem, quando o lote desse player acabar, posso atuar contra sua posição, pois é provável que o mercado venha preencher o vazio que ele deixou.

Essas são algumas das diversas possibilidades que você passa a considerar quando tem em mente essa percepção do que é normal ou atípico no fluxo de ordens enviadas ao mercado. Mas é fácil desenvolver esse tipo de sensibilidade? Não, não é.

É muito mais fácil você aprender, por exemplo, um cruzamento de média móvel, porque quando a de 21 cruza a de 28 este evento é inquestionável. O cruzamento é um fato objetivo, mas é só o mercado mudar o comportamento que você começará a questionar se não é melhor usar a média de 8 com a de 20.

A verdade é que é difícil relativizar na análise de fluxo de ordens, mas é um desafio que você tem se propor a fazer. Não é algo que você consegue do dia para a noite, mas é o tipo de conhecimento que leva sua performance no trading a outro patamar.

É necessário que você construa um banco de dados mental de vivência no mercado até que, naturalmente, sua mente comece a falar “o quanto é muito e o quanto é pouco”, “isso é relevante, isso não”. Mas como me motivar e dar tempo ao tempo, sem obter resultados positivos?

Infelizmente não há atalho. Essa é arte da vida, você primeiro tem que aceitar a luta, para depois chegar à vitória. Antes da recompensa, tem que estar disposto a pagar o preço que a batalha impõe.

Nós temos o costume de olhar o sucesso das pessoas e não o caminho que elas percorreram. Você reduz o tempo, minimiza a etapa, mas você não a pula.

Entendi, então como faço para minimizá-la?

Atualmente são oferecidos diversos instrumentos tecnológicos. Nós mesmos temos o Plug-in Tape Reading que relativiza o histórico de negociação dos players, justamente para medir o quanto é muito e o quanto é pouco, temos um ranking de identificação de algoritmos e outras soluções que certamente colaboram com a redução do tempo de aprendizado. Porém, ela é simplesmente uma forma de acelerar o processo, não um atalho.

Comece com um passo de cada vez, utilize a tecnologia a seu favor, mas procure enxergar as quatro variáveis que citamos ao longo deste artigo. Se você se dedicar a enxerga-las, dentro de 3 a 4 meses, é provável que sua mente comece a entender quais eventos realmente impactam no deslocamento do preço.

Preocupe-se em dar este primeiro passo, foque nas instruções que passamos e jamais deixe de acreditar no processo.

Grande Abraço e Atitude Vencedora Sempre!
André Antunes

E se você tem interesse em conhecer mais, recomendo que Matricule-se agora mesmo no Programa Gratuito Formação de Trader

INSCREVA-SE GRATUITAMENTE NA FORMAÇÃO DE TRADER