PREPARANDO-SE CORRETAMENTE PARA ENCARAR O DAY TRADE

Como evitar grandes perdas no Day Trade?
METAJOGO: O SEGREDO DOS TRADERS PROFISSIONAIS NA BOLSA DE VALORES – PARTE 2
17 de julho de 2020
Como evitar grandes perdas no Day Trade?
BATI A META OU CHEGUEI NO STOP DIÁRIO… PARO OU CONTINUO?
17 de julho de 2020

Se eu te perguntasse qual a profissão mais perigosa do mundo, o que você me responderia?  Médico, policial, bombeiro, limpador de vidraças em edifícios, day trader? Na minha opinião, nenhuma dessas profissões são mais perigosas do que a dos SEALs, soldados de elite da Marinha Americana, responsáveis por realizar as operações militares mais perigosas de interesse dos Estados Unidos. O próprio nome SEAL já traz uma ideia do tamanho da responsabilidade dessa Força Militar: SEAL é uma sigla derivada de três palavras, “Sea, Air and Land”, que significa “Mar, Ar e Terra”. Logo, não importa a natureza, nem a hostilidade do serviço. Seja no mar, no ar ou na terra, o SEAL terá que entrar em ação e cumprir sua missão.

Se você está impressionado com a responsabilidade que essa Força de Elite tem, tenho certeza que vou te surpreender ainda mais a partir de agora, com a seguinte pergunta: como os SEALs são recrutados? Será que alguém nasce com “talento” para ser um SEAL? Existe alguma qualidade especial para ser um super soldado?

Por incrível que pareça, NÃO. Os SEALs são pessoas comuns, como eu e você, sem nenhum dom especial. O processo de inscrição é até simples: basta preencher um formulário e ter o mínimo de condicionamento físico, que o interessado estará apto a ingressar no treinamento. Entrar é fácil, o difícil está em sair de lá um SEAL!

E por que estou falando tudo isso? Porque quero mostrar que até para ser um soldado de elite, não é preciso nenhum talento fora comum, muito menos já “nascer” um SEAL. Assim como em qualquer outra profissão, a Marinha norte-americana tem um processo muito bem qualificado que constrói um SEAL.

E engana-se quem pensa que esse treinamento militar já é, desde o início, complexo e difícil. NÃO! O treinamento dos SEALs começa com algo simples e que qualquer pessoa pode fazer: a primeira lição que os aspirantes aprendem não é atirar, nem a lutar, mas sim a arrumar a cama perfeitamente.

É isso mesmo, arrumar a cama é a primeira tarefa de um SEAL, que mais tarde, estará caçando terroristas, tomará bases inimigas, derrubar tiranos etc. Tudo começa com arrumar a cama!

A disciplina do pequeno

O que eu quis demonstrar com este primeiro relato é que mesmo atividades tão complexas quanto ser um soldado de elite não podem e nem devem começar buscando grandes resultados. Tudo faz parte de um processo, uma construção de habilidades que paulatinamente vão moldando nossa forma de pensar para que a mente se comporte adequadamente ao que a situação fática exigir.

Como você viu, um SEAL não começa de cara indo pra guerra ou nadando 3 Km. O treinamento desse grupo de elite começa com uma simples ação, que é arrumar a cama perfeitamente. Isso ocorre porque a Marinha Americana percebeu muito cedo que não é do dia para noite que se chega a grandes resultados. Grandes feitos são na verdade fruto da execução conjunta de pequenas ações. É por isso que os SEALs começam seu treinamento ensinando os aspirantes a arruma uma cama perfeita: a ideia que eles querem passar é que mesmo as pequenas coisas devem ser feitas com seriedade, pois quem faz bem o pequeno conseguirá fazer bem o grande!

E é assim, fazendo muito bem várias pequenas ações que a mente dos aspirantes vai se condicionando e se preparando para lidar com desafios cada vez maiores, até que em determinado momento ele estará apto a ir para o combate e colocar em prática tudo treinou. A disciplina de fazer bem o pequeno condiciona a mente de um SEAL a reagir adequadamente a uma situação e retomar o controle diante da situação que ele enfrenta. Quantas não são as histórias reais retratadas em filmes que mostram militares em combate, em circunstâncias extremamente desfavoráveis, mas ainda assim, conseguem refletir, retomar o controle da mente e traçar uma estratégia para sair daquela situação. A razão principal para isso é o processo que eles passam até se tornarem um soldado de elite, cujo resultado final é uma mente condicionada e apta a agir quando for preciso.

O mais curioso é que uma mente condicionada não é privilégio de um SEAL. Ela faz parte de todo profissional de alta performance, não importa o ramo de sua atividade. Se você for um empresário, um advogado, um médico, um atleta ou mesmo um trader, certamente conhece outras pessoas, cuja forma de pensar parece ser diferente. É como se esses profissionais não tivessem problemas, mas na verdade o que eles tem é uma mente muito bem preparada para lidar com qualquer tipo de adversidade.

É por isso que eu bato tanto na tecla que qualquer pessoa, se quiser de verdade, pode vir a ser um trader consistente. Não é uma questão de genialidade, talento ou mesmo dinheiro. É somente a questão de se dedicar verdadeiramente a um processo correto de formação.

A maioria perde, mas existem vencedores

Neste ano, duas matérias chocantes ganharam destaque na mídia. A primeira foi uma pesquisa realizada pela FGV que trouxe números discrepantes: mais de 90% das pessoas que tentam viver de day trade fracassam e terminam com prejuízo. E recentemente, o blog Arena do Pavini publicou a história de um jovem que acabou perdendo tudo o que tinha operando day trade no mercado e, desesperado, acabou cometendo suicídio.

Certamente existem muitas outras histórias ruins. Eu mesmo se não tivesse conhecido a Bolsa de Valores no lugar em que estava, provavelmente não teria me tornado um trader vencedor.

Se você ainda não conhece a minha história, saiba que eu não tenho formação profissional na área de economia ou finanças. A minha formação é em TI e eu acabei conhecendo o mercado financeiro quando fui contratado para ser gerente em uma corretora que atendia a maior parte dos traders pessoa física que realmente ganhavan dinheiro no day trade. Enquanto essas pessoas eram capazes de ganhar em um único dia o que eu levava um ano inteiro para conseguir, eu decidi investigar a fundo o que eles faziam para também mudar de vida.

Os primeiros dias não foram fáceis. Sempre que eu pedia orientação, recebia respostas muito vagas, como “comprei porque compraram muito”, “vendi porque pararam de comprar”, e com isso, eu permanecia sem entender nada do que eles faziam. A única razão para persistir é que eu tinha acesso aos 10% de traders vencedores. Eu sabia que era possível viver de day trade! 

Foi então que em um almoço com um desses operadores, recebi um insight determinante para mudar minha trajetória. Quando questionei o que era preciso fazer para deixar de perder ele disse: “André, aprenda a perder e aprenda o jogo!”.

O sucesso pode ser um mau conselheiro

Certa vez, vi uma frase dita por Bill Gates e que carrego até hoje comigo: “o sucesso é um mestre terrível. Convence pessoas inteligentes a pensar que não vão perder”.

No meu início como trader, eu tive alguns dias de ganho. E confesso: ganhar é bom demais! Quando ganhamos dinheiro no trading nos sentimos especiais, empoderados… é sempre prazeroso terminar um dia positivo. Mas pouco depois, as perdas começaram a ser muito mais frequentes. Foi por esta razão que procurei os traders mais experientes. Eu queria muito mudar o rumo das coisas e mais do que isso, eu queria mudar a minha vida e a da minha família!

Quando esse conhecido me falou “entenda o jogo” confesso que não compreendi exatamente o que ele estava querendo dizer. E por isso, no dia seguinte, cheguei mais cedo na corretora para observar o que os outros traders faziam. Para minha surpresa, nenhum deles tinha na tela as ferramentas gráficas que eu utilizava.  Tudo o que eles tinham na tela era um Livro de Ofertas, um Livro de Preços e um Histórico de Negócios, ferramentas essas que eles utilizavam para acompanhar todas as ordens e transações realizadas na Bolsa.

Nos primeiros dias que olhei para aquela tela, eu nada entendi. Mas eu também pude perceber o quão ágeis eram esses traders. A velocidade com que eles clicavam no mouse na hora de enviar uma ordem ao mercado era realmente impressionante. Como eu ainda não entendia o significado daqueles números na minha tela, eu decidi operar o menor lote possível do mini índice  (1 contrato) para ganhar agilidade e rapidez enquanto operava.

Eu passei os primeiros 15 dias operando das 09:00 às 18:00, clicando em todos os movimentos que julgava interessante, mas sem me preocupar com o resultado das operações. Meu único objetivo era ficar rápido. Algum tempo depois, eu atingi minha meta. Aliás, eu me superei: depois de alguns meses de prática, eu era o clique mais rápido da corretora!

O fato de estar desenvolvendo agilidade não me isentava da necessidade de olhar para a tela. Eu obrigatoriamente tinha que olhar aqueles números se movimentando, para então decidir em que preço executaria minha ordem. Foi aí que eu comecei a perceber que as ordens de alguns participantes eram maiores e mais rápidas que  a maioria que atuava no mercado.

Sempre que uma grande ordem era executada e consumia toda a oferta disponível no nível de preço, o mercado reagia de alguma forma: ou intensificavam as negociações na mesma direção dessa grande ordem, ou então atuavam na direção contrária. E o mais importante: o preço se movimentava!

A partir desse instante, os insights vagos que recebi começaram a fazer sentido. Eu comecei a notar que quando alguém executava uma grande ordem, havia alguma reação imediata do mercado e era isso que fazia o preço andar. A partir deste momento, eu comecei a estudar o fluxo de ordens e seguir o rastro desses participantes que realmente faziam o mercado andar, isto é, eles realmente conseguiam deslocar preço. Finalmente eu comecei a entender o que os demais traders faziam. Eu agora estava aprendendo o que era o Tape Reading!

Entretanto, o que me levou a perceber o fluxo de ordens não foi um a sacada mágica. Pelo simples fato de passar horas em frente a tela, ganhando agilidade para operar, eu tive essa sacada em relação ao tamanho das ordens. Um passo tão simples me permitiu dar outro mais além e que se mostrou determinante para a minha trajetória no trading. 

Day trade é como uma empresa

Depois desse “norte”, os meus resultados começaram a mudar. Eu fui deixando a rota perdedora de lado e, pouco a pouco, atingi a consistência.

Mas o que eu quero que você entenda é que não foi do dia para a noite que eu consegui chegar aonde me encontro hoje: um trader 5D, capaz de ganhar pelo menos R$ 10.000,00/dia. Antes de chegar neste patamar, eu, primeiramente, foquei em ganhar R$ 100,00, R$ 200,00, R$ 300,00, R$ 500,00, R$ 700,00, R$ 1000,00. Eu não fui logo de cara buscar os 10.000,00. Eu aumentava a minha meta financeira e o lote que operava somente quando o meu histórico anterior era positivo. Se eu não tivesse mérito, eu não colocava mais dinheiro no jogo.

A evolução baseada em mérito é mais um dos motivos que me trouxe ao patamar atual. Primeiro, eu procurei ter mérito na agilidade. Depois, ter mérito operando 1 mini contrato, e assim sucessivamente passando para 2, 3, 5, 10, 15 mini contratos, até chegar ao Contrato Cheio. Enquanto eu não tivesse histórico consistente de resultados, eu não aumentava o financeiro operado.

Essa atitude me manteve concentrado unicamente no meu aprendizado. Nos primeiros meses como trader, meu foco não era o dinheiro. O que eu queria era aprender o day trade e superar minhas limitações. Eu não me importava se o cara ao lado estava ganhando ou perdendo R$ 1.000,00. Eu me preocupava apenas com a minha performance, em operar melhor a cada dia e em ser um trader melhor.

O histórico de resultados é ingrediente necessário para desenvolver algo primordial para a evolução no day trade: a confiança! O fato de ir construindo dias positivos, um seguido do outro, foi me dando a certeza de que estava no caminho certo, que eu estava operando bem (não era mais sorte) e pouco a pouco a minha confiança foi aumentando. E quando a confiança aumenta, nos sentimos aptos a partir para próximo degrau financeiro. Se você me perguntar o que é mais importante, ganhos pequenos consistentes ou uma grande tacada, eu respondo sem fraquejar que ganhos pequenos consistentes colaboram muito mais para sua evolução, pois lhe dão confiança. Novamente é a disciplina de fazer o bem o pequeno que te prepara para voos maiores!

É por isso que eu digo que se você quiser viver de trade é fundamental dar ênfase ao aprendizado, principalmente no início. Não adianta vir para o mercado achando que vai ganhar dinheiro imediatamente. Isso não existe. É esse otimismo exagerado que leva o jovem trader a perdas catastróficas, incluindo a própria vida.

Na minha visão, o day trade funciona como uma empresa. Você começa com um capital inicial, mas o crescimento deve vir com os resultados obtidos com exercício da atividade empresarial. Como você pôde ver, eu não coloquei nenhum centavo a mais na hora de aumentar meu lote. Eu só aumentava o capital operado com o dinheiro que conquistava no mercado. Somente depois de atingir a meta é que eu dava o próximo passo.

É por isso que recomendo os traders iniciantes a se organizarem financeiramente antes de partirem para o day trade. E a principal recomendação é a mesma de qualquer empresário: não misture as contas pessoais com a conta day trade!

Sempre recomendo aos meus alunos que tenham 3 contas: a conta pessoal, a conta investimento e a conta day trade. A conta pessoal é a conta bancária utilizada para pagar o custo de vida do trader. Aqui estará o dinheiro para saldar as despesas do dia a dia, ou seja, o gasto com moradia, consumo e saúde, sairá dessa conta.

A conta investimento é onde estará alocado o capital excedente, destinado à geração de renda passiva. Aqui serão movimentados os valores referentes aos investimentos passivos que por ventura o trader venha ter, como Títulos Públicos, CDBs, LCIs, Ações, Cotas de Fundos de Investimento Imobiliário etc.

Por fim, temos a conta day trade que é a conta da “empresa”. Esta conta tem que estar separada das demais e tem o propósito específico de arcar com os custo operacionais do day trade. E detalhe: essa conta deve estar em uma corretora diferente daquela onde está a conta investimento. Não misture a conta de investimento passivo com a conta day trade, pois em um dia de fraqueza psicológica, você pode comprometer o patrimônio de uma vida inteira e e perdê-lo em questão de minutos.

E por que essa separação é necessária? Por que todo esse cuidado?

Essa separação serve para criar obstáculos que nos protegerão de nós mesmos. Como expliquei anteriormente, eu e os traders fizeram do day trade a sua profissão principal, não começamos operando grandes cifras logo de cara. TODOS nós começamos com uma pequena quantia e fomos aumentando o capital operado com o dinheiro que ganhamos no mercado. Nós não focamos o dinheiro. Nós focamos o aprendizado! 

É por isso que você já deve ter escutado aquele jargão que diz “ganha dinheiro no mercado quem não precisa”.  Mas não é porque a pessoa é rica ou tem muito dinheiro disponível. É simplesmente o fato dela estar financeiramente planejada para, durante a fase de aprendizado, não depender dos resultados de suas operações para pagar suas contas. Os traders que vem para o mercado precisando ganhar dinheiro para arcar com o seu custo de vida são os que inevitavelmente acabam ficando pelo caminho. Isso ocorre porque o engajamento que eles estabelecem não é com sua formação, mas sim com o resultado. Quando este não vem, ficam pulando de curso em curso, de estratégia em estratégia na ânsia de ganhar mais dinheiro, quando na verdade o financeiro é consequência da qualidade do seu aprendizado. O que é preciso fazer é se dedicar ao processo, como eu e o outros 10% de traders vencedores fizemos.

O Programa Sigma

Depois de me consolidar como day trader, muitas pessoas começaram a me procurar para entender como eu, sem experiência ou formação no mercado, consegui dar certo em uma atividade tão difícil. Conforme eu ia explicando os passos que dei, muitos se surpreendiam com a simplicidade e também por não terem notado a importância desse passo a passo.

Como falei anteriormente, qualquer atividade profissional nada mais é do que a construção de uma habilidade. No caso do day trade, a habilidade é composta por 4 áreas que juntas formam um bom trader: operacional, analítica, gerencial e comportamental.

  • A habilidade operacional diz respeito à agilidade. No day trade, é importante ter rapidez na hora da tomada de decisão. Essa foi a primeira habilidade que desenvolvi. 
  • A habilidade analítica é a capacidade de entender o que está acontecendo no mercado e saber tirar proveito da situação que se apresenta. É aqui onde são definidas as estratégias para aproveitar a realidade vista na tela e ganhar dinheiro em cima disso. 
  • A habilidade gerencial é a capacidade de saber gerenciar as perdas e os ganhos. Significa saber a hora de parar, seja perdendo ou ganhando, respeitando as metas estabelecidas, de acordo com o capital disponível para operar.
  • Por fim, a habilidade comportamental é o condicionamento mental necessário para se comportar adequadamente à realidade do mercado. Significa monitorar o próprio comportamento para tomar decisões coerentes com a situação apresentada, sem comprometer a trajetória de longo prazo no day trade.

Da mesma forma que as virtudes dos SEALs, essas habilidades não são construídas do dia para a noite. Elas são construídas pouco a pouco, dentro de um processo, onde paulatinamente concluímos com sucesso um pequeno passo para então, avançarmos para outro um pouco maior.

Eu sei que ando falando a palavra “processo” várias vezes ao longo do texto e a esta altura você já deve entender o que ela significa, mas por via das dúvidas vou expor agora o seu conceito. Um processo é um conjunto de atividades relacionadas entre si cuja execução produz um determinado resultado com mais eficiência. 

Trazendo esse conceito para o mundo empresarial, as melhores empresas são aquelas que constroem os melhores processos. Essas corporações investem pesadamente em métricas que mostrem os seus melhores resultados, para depois estudar e planilhar o conjunto de ações que trouxe esses números, e então criar um roteiro de ações replicável.

Assim sendo, não é preciso ser um gênio ou ter um dom natural para ser um bom trader. O que é preciso de verdade é concluir com êxito um bom processo de formação, que te prepare satisfatoriamente para o day trade. É o processo que gera o talento! 

E depois de entender tudo isso é que fundei a Scalper para oferecer o Programa SIGMA, o programa que atualmente forma o maior número de traders vencedores no Brasil. O Programa Sigma nada mais é do que o processo, o passo a passo estruturado que me trouxe ao patamar em que estou hoje. Ele é composto de 6 etapas distintas:

  1. Teoria: esta etapa é composta de aulas teóricas que revela a realidade do day trade, a partir do estudo das crenças e princípios extraídos da mentalidade dos traders consistentes. Nós revelamos como esses profissionais enxergam o mercado, para então extrair a forma mais adequada de entender o day trade.
  2. Teoria assistida: de nada adianta ter os conceitos mais adequados e não coloca-los em prática. Por isso, desenvolvemos ferramentas de leitura de tela próprias que trabalham cenários reais de mercado para demonstrar, na prática, como ler o fluxo de ordens na tela e quais os eventos mais relevantes, isto é, os que realmente impactam o mercado.
  3. Prática assistida: depois de concluir os fundamentos básicos da leitura de tela, passamos para cenários de mercado mais complexos, onde começamos a desenvolver em nossos alunos o entendimento do que desencadeou um determinado movimento de mercado. É nesta etapa que começamos a trabalhar o entendimento do contexto de uma determina movimentação no preço.
  4. Mérito: uma vez adaptado e já capaz de entender o que é mostrado na tela, o aluno está apto a operar de verdade no mercado e atestar sua capacidade de fazer dinheiro no day trade. 

Mas operando dinheiro de verdade? NÃO! Tanto esta, como todas as etapas anteriores são realizadas em ambiente simulado, em uma plataforma que simula em tempo real os eventos ocorridos no pregão da Bolsa. Essa plataforma, que chamamos de Scalper Drills, é parte integrante do Programa Sigma e é inteiramente gratuita. Ela foi criada justamente para fazer o trader ter “custo zero” durante a fase de aprendizado. Enquanto ele não comprovar mérito, não há razão para operar a conta real.

  1. Operacional: comprovado o mérito em ambiente simulado, o trader estará apto a operar dinheiro de verdade e buscar metas reais no mercado. Contudo, o aumento do capital deve ser feito como descrito anteriormente, ou seja, sempre depois de construir um histórico consistente de operações vencedoras. A ideia é aumentar o lote e o capital alocado no day trade com dinheiro obtido em seus trades.
  2. Gestão de Performance: diz respeito ao monitoramento comportamental para correção e superação dos obstáculos, de modo a montar um processo de melhoria contínua de performance no trading. Ensinamos como realizar esse monitoramento e quais ferramentas mais colaboram para essa gestão.

Esse é o passo a passo para uma formação de excelência em day trade. Mas isso significa que ela resolve TODOS os problemas?

Seja otimista, mas sem ilusões

A resposta também é NÃO! Um processo é uma rota, ele encurta o caminho, mas isso não significa que o resultado é garantido. Eu posso dar todas as ferramentas que você precisa, mas se não houver engajamento e comprometimento da sua parte, nada vai funcionar.

Esse é o erro da maior parte das pessoas. Elas compram cursos e treinamentos achando que estão adquirindo um manual, uma receita de bolo e é só seguir as instruções, que os resultados aparecem. É um otimismo exagerado, bem mais prejudicial do que ser pessimista!

Recentemente, uma pesquisa da Escola de Medicina de Boston, publicada no periódico científico Proceedings of the National Academy of Sciences, demonstrou que o otimismo é sim algo positivo para a vida, tanto é que pessoas otimistas acabaram tendo uma longevidade de 11 a 15% maior que os pessimistas, ultrapassando os 85 anos de idade.

Mas é preciso estar atento àquilo que o empresário Flavio Augusto da Silva bem pontuou. Ser otimista é bom e necessário para ter sucesso na vida, ainda mais na área profissional. Só que pensamento positivo em exagero não é otimismo, é negação. Este é mais um problema que vejo na maioria do traders iniciantes.

A meu ver, a maior qualidade do mercado financeiro é também sua maior maldição. O mercado é democrático. Não importa sua classe, sua cor, sua formação, seu sobrenome, ou mesmo o dinheiro que você tem disponível: qualquer pessoa pode ter acesso à Bolsa de Valores, bastando abrir uma conta em uma corretora. 

Logo, o produto principal oferecido por uma corretora não é a educação, é o acesso ao mercado. Por mais que algumas corretoras ainda ofereçam algum tipo de assistência educacional, esse tipo de serviço dificilmente será profundo. É de responsabilidade do próprio trader correr atrás de conhecimento adequado para o seu desenvolvimento. E é aí que mora o perigo: por falta de conhecimento adequado, as pessoas correm riscos demais, colocam em jogo mais dinheiro do que podem e, se por acaso conseguem algum ganho no caminho, tentam manter esse padrão, mas sem uma base sólida que dê sustentação a essa realidade.

Você consegue notar como elas estão sendo exageradamente otimistas? A maioria vem para o mercado achando que tudo vai dar certo, que não haverá nenhum tipo de dificuldade. E quando adquirem um treinamento de qualidade, continuam com essa mesma visão errada, de que não encontrarão obstáculos e que logo estarão ganhando dinheiro.

Mais do que uma formação, o produto principal que ofereço é a verdade! Nesse sentido, fique certo de que não existe fórmula mágica para o day trade! Você pode estar passando pelo processo correto e seguindo toda as etapas propostas, mas se não houver engajamento, se não houver disposição para enfrentar as SUAS dificuldades, não vai dar certo.

É comum os meus alunos reclamarem da velocidade do mercado, da falta de tempo disponível, do pouco capital que possuem, ou mesmo da demora para notar uma simples evolução no aprendizado. E a minha resposta é sempre a mesma: tudo isso faz parte! É o seu dever encontrar as soluções necessárias e continuar fazendo tudo o que estiver ao seu alcance para dar certo. Se você tiver esse comprometimento, pode até demorar, mas uma hora vai dar certo!

Como bem pontual o empresário Jorge Paulo Lemann, as pessoas tem a errada impressão de que o sucesso é uma linha reta ascendente, quando na verdade é uma onda cheia de altos e baixos. Somente com perseverança e disposição é que conseguimos evoluir.

E não é motivação que vai fazer você perseverar. É algo muito mais importante e profundo: os seus valores. É preciso ter a capacidade de identificar dentro de si os valores que você quer muito em sua vida e fazer disso a razão pela qual você fará de tudo para superar as dificuldades que aparecerem. E tenha de certeza de que não serão poucas, mas é a disposição de superar essas “dores” que fará você chegar aonde deseja.

Pode ser que os valores mais fortes de uma pessoa sejam a liberdade e a autonomia. Para ela, o day trade pode ser uma boa alternativa, já que é uma atividade que depende unicamente dela mesma. Porém, se você for uma pessoa mais cautelosa, que busca segurança e estabilidade, ser trader pode não ser uma boa opção, pois gerenciar risco e lidar com adversidades faz parte do nosso dia a dia. Percebe como nada é certo, mesmo trilhando o processo mais adequado?

Por fim, o que eu gostaria que você entendesse é que tanto no day trade, como em qualquer outra área da vida, a luta principal nunca foi contra os outros, sempre foi contra você mesmo. Aliás, você não tem que provar nada a ninguém! O seu time é só você!

É você lutando diariamente para superar as próprias limitações e evoluir. No fim, o que realmente nos leva ao sucesso é o nosso empenho contínuo em criar uma versão melhor de nós mesmos por toda a vida.

Grande Abraço e Atitude Vencedora!

André Antunes