Por que minha estratégia parou de funcionar?

Por que você não deve operar com Indicadores Técnicos?
Por que você não deve operar com Indicadores Técnicos?
17 de janeiro de 2019
Como o Fluxo de Ordens exerce causalidade sobre o preço?
Como o Fluxo de Ordens exerce causalidade sobre o preço?
21 de janeiro de 2019

Não sei se já sentiu a sensação te ter descoberto uma estratégia baseada em indicadores que gerava resultados positivos no Backtest (ou mesmo na avaliação visual), mas quando você a aplicou, os resultados não duraram muito tempo?

É uma das piores sensações do mundo: perder sem saber o porquê!

E o mais estressante é ter que decidir se mantém a estratégia, se muda alguma calibragem ou se procura outro indicador!

Então, se você quer saber por que uma estratégia baseada em indicadores técnicos (que gerava lucro) parou de funcionar, me acompanhe até o final do artigo, nele vamos falar dos seguintes tópicos:

– A culpa é do emocional?

– Singularidade do momento: o conceito mais importante.

– Energia Potencial: o que é?

– Os participantes do mercado também mudam.

Então vamos lá:

 

Será que a culpa é sempre do emocional?


Imagine que você tenha conseguido automatizar 100% da sua estratégia.

Dessa forma, você vai conseguir entrar e sair de todas as indicações, porque não vai incorrer julgamento discricionário sobre as sinalizações individuais.

Se você já fez este teste, deve ter percebido que mesmo excluindo a questão emocional, um setup que era ganhador no passado (ou nos testes), um dia acaba gerando prejuízos acumulados.

E sabe por que isso acontece?

Por que os mercados não se comportam da mesma forma, ou seja, o que aconteceu no passado tende a nunca mais acontecer da mesma forma.

Por mais que seja difícil de acreditar nisso, alguma coisa sempre será diferente!

Mesmo que algumas altas e baixas no ativo pareçam idênticas ou similares, sempre existirá alguma variável diferente que contribuiu no processo dessa alta/baixa.

Singularidade do Momento  – O Conceito mais Importante


Anos atrás, eu li o livro do Mark Douglas chamado Trade In The Zone, que para mim é o melhor livro de psicologia sobre trading. Em um dos capítulos, ele falava de singularidade do momento.

Confesso que torci o nariz na hora que li porque não era o que eu queria ouvir. Queria era aprender uma técnica com alto percentual de acerto em que eu pudesse confiar.

Só depois de alguns anos operando, você percebe o quão certo está o Mark Douglas em afirmar que cada momento no mercado é único.

Ele simplesmente prova que cada negócio e cada alteração de oferta de compra e venda são únicos e vão gerar resultados igualmente únicos, por mais que graficamente pareçam idênticos.

Quer a primeira comprovação disso?

Quem coloca ordens no mercado? Traders, certo? São pelo menos 570 mil CPFs cadastrados na Bolsa, mais pelo menos uns 400 gestores de fundos e umas 15/20 tesourarias de bancos (considerando as de médio e grande porte).

Te pergunto: Qual a chance de a posição prévia de cada um destes players ser a mesma?

A chance é zero, não é mesmo?

Ou seja, em nenhum momento da história a posição prévia de cada player será a mesma. Ela pode ser similar, mas não a mesma.

Bom, e por que isso importa?

Importa, pois a posição prévia dos grandes participantes (ou nível de aposta, como chamamos) também determina a energia potencial dos preços.

Energia Potencial é diferente


Por exemplo, se um grupo de grandes players estiver comprado em determinado ativo, a energia potencial deste ativo é enorme na compra e eles poderão fazer qualquer coisa para que os preços subam.

Entretanto, caso haja alguma mudança repentina nos fundamentos, quanto mais “apostado” o mercado estiver na compra, maior é tombo porque maior será o “desarme” devido ao fluxo de vendas.

O conceito de energia potencial é muito importante, mas nesse artigo estou explicando energia potencial somente para provar que ela nunca é a mesma e, consequentemente, o desenho dos preços também não será o mesmo.

Outro ponto extremamente relevante é que o cenário também é diferente de tempos em tempos.

Me recordo, há uns 6 anos atrás, de uma época em que o dólar só caía.

Dia após dia, o fundamento era de baixa, devido à enxurrada de recursos provenientes do Quantitative Easing (política de estímulos de juros baixos adotada pelo FED após a crise).

Era um cenário diferente do cenário atual!

No cenário atual, o FED está retirando os estímulos da economia, o que altera o fluxo de dinheiro no mundo.

Internamente, o cenário também é diferente, porque depois da queda do PT, os fundamentos melhoram com mercado apostando na melhora nas contas públicas (por isso, as reformas são importantes) e na queda das expectativas de inflação.

Claro que tem vários outros fatores, mas só quis mostrar que, além das posições dos participantes ser diferente de uma época para outra, o cenário econômico é outro e isso colabora para que o comportamento do preço também seja diferente!

 

Os participantes do mercado também mudam


No mercado, há uma dança de cadeiras com certa frequência.

Alguns traders corporativos experientes saem, como o caso do ex-tesoureiro do Deutsche, ou do ex-tesoureiro do Bradesco.

Nossa André, mas o que isso tem a ver com o setup parar de funcionar?

O pior é que isso tem tudo a ver!

Quando um desses tesoureiros estava operando, era notável que ele impactava o mercado, até pelo tamanho do lote que eles operavam.

O que significa que os preços fluíam mais rápido ou mais devagar (num pequeno intervalo de tempo), só pelo fato de eles estarem atuando.

Essa “facilidade” com que o preço flui, impacta nos seus indicadores e impacta suas operações!

Outro grande exemplo de mudança de participantes foi a entrada dos HFTs (High Frequency Traders) em meados de 2007, alterando significativamente a microestrutura de mercado e alterando também a forma com que os preços oscilam.

É por esses motivos (na verdade só citei 3, ao todo são sais de 9) que acredito que o Mark Douglas estava certo quando afirmou que cada momento no mercado é único.

 

CONCLUSÃO


Se você olhar um gráfico, realmente fica difícil de acreditar que cada momento é único, porque quando uma média cruza, ou quando um MADC dá venda, por exemplo, em diversas situações parece funcionar.

Mas se você pensar na estrutura do mercado e na energia potencial, a coisa fica diferente.

Quando embramos que o que impacta os preços são traders e que além desses traders mudarem de tempos em tempos, o cenário (que é o que motiva os grandes participantes a operarem) também muda, fica quase impossível acreditar que os mesmos movimentos que aconteceram no passado vão se repetir no futuro.

Num curto intervalo de tempo, alguns setups até são ganhadores porque estão conseguindo (por mérito ou sorte) capturar a dinâmica de interação dos participantes num dado cenário macroeconômico.

Portanto, as habilidades que um trader precisa desenvolver são maiores do que descobrir o melhor setup e ter disciplina para replicá-lo.

Mas, no médio prazo, qualquer setup baseado em indicadores técnicos tende a parar de funcionar.

Um trader precisa entender o que realmente é o mercado que está operando, quem são os participantes, por que cada um deles opera, como eles operam, como impactam o preço e mais alguns outros pontos.

Só com esse conhecimento é que um trader será capaz de se adequar a qualquer cenário, seja ele de alta, de baixa ou lateral, volátil ou parado, e se manter consistente no médio prazo.

Grande abraço e Atitude Vencedora!

André Antunes

E se você tem interesse em conhecer mais, recomendo que Matricule-se agora mesmo no Programa Gratuito Formação de Trader

INSCREVA-SE GRATUITAMENTE NA FORMAÇÃO DE TRADER