O QUE É TAXA SELIC?

Efeito manada
O QUE É O EFEITO MANADA NO MERCADO FINANCEIRO?
22 de novembro de 2019
Como-atingir-a-liberdade-financeira
COMO ALCANÇAR A LIBERDADE FINANCEIRA?
26 de novembro de 2019

Muitos dos rendimentos fixos estão ligados diretamente à Taxa Selic. Sendo assim, é importante entender um pouco mais sobre este tema, já que o custo de oportunidade de operar na Bolsa está diretamente ligado ao quanto você pode obter em investimentos livres de risco, como é o caso da renda fixa.

O que é Selic?

Selic ou Taxa Selic é uma taxa média ajustada de acordo com financiamentos diários apurados no Sistema Especial de Liquidação e Custódia dos títulos federais. O motivo de ela ser tão importante está diretamente relacionado à sua capacidade de servir de base para os cálculos de juros no Brasil.

A ideia aqui é bastante semelhante à taxa DI , só que no caso da Selic, o valor é pago ao Governo. Por isso, é bem comum você ver as duas taxas andando juntas, já que ambas são baseadas nas operações Over Night para garantir um valor mínimo de caixa.

Quanto maior for a Selic, mais caro fica pegar empréstimos de qualquer Banco. Isso porque os bancos em si não emprestam somente o seu capital próprio. Eles também utilizam, em parte, o dinheiro do Tesouro Nacional, ou seja, o Governo empresta dinheiro para o Banco te emprestar e, como juros, o Tesouro irá cobrar a taxa Selic.

E é claro que um Banco não irá emprestar algo para alguém sem ter sua parcela de lucro. Portanto, quanto maior for a taxa Selic, maior tende a ser o valor final dos juros cobrados, considerando o spread que o Banco irá adicionar, isto é, a diferença entre os juros que ele te cobra e os juros que ele próprio pagou.

O Banco Central é o responsável por estabelecer a meta para a taxa Selic e atuar no sentido de concretizá-la. Para isso, ele compra ou vende títulos a preços maiores ou menores para diminuir ou aumentar o valor dos juros, respectivamente.

Como a Selic afeta o mercado?

       Como falamos no início do artigo, o custo de oportunidade de arriscar seu capital na Bolsa de Valores depende diretamente das alternativas que você tem para fazer o seu dinheiro render.

            O Brasil sempre foi, tradicionalmente, um dos países com as taxas de juros mais altas do mundo, o que trazia a vantagem de uma renda fixa com rendimentos enormes, chegando, em alguns anos, a 14%, ou mesmo a 17% ao ano, o que é uma rentabilidade absurdamente alta para um investimento de risco praticamente zero. Nesse cenário, o estímulo que alguém tem para arriscar o capital na Bolsa tende a ser baixo, já que ele correrá o risco de perder o capital investido para, muitas vezes, obter uma rentabilidade abaixo da própria renda fixa.

            Entretanto, essa peculiaridade brasileira de juros altíssimos e renda fixa com rentabilidade tende a não ocorrer mais, pelo menos não no curto prazo. A Selic vem caindo de forma acelerada nos últimos meses, chegando a apenas 5% recentemente. Com isso, é natural que cada vez mais pessoas optem por colocar seu dinheiro na Bolsa de Valores em busca de rendimentos mais atrativos, e com isso o mercado cresce e abrem-se mais oportunidades para o trader que sabe o que está fazendo.