Impacto da confiança como Trader!

Você sabe qual a principal função do Trader?
Confiança: a principal função do Trader?
24 de novembro de 2018
Trader iniciante? Descubra por onde começar!
Trader iniciante? Descubra por onde começar!
28 de novembro de 2018

Durante meus seis primeiros meses como trader autônomo eu operava em uma filial de corretora, na Zona Norte de São Paulo, ao lado de um dos melhores day traders que já conheci.

Bom, se você já opera você deve saber como é o começo. Cheio de inseguranças e incertezas. Não sabia se ia dar certo, não sabia se ia me adequar ao day trade na física mesmo já sendo trader de fundo de investimento (operar na física é diferente de operar numa Asset).

Mas, tive sorte em uma coisa: Sempre visualizei sucesso e fiz a lição de casa. Não reinventei a roda.

Eu chamo de lição de casa, seguir exatamente os passos recomendados. Abaixo segue um breve resumo, apenas para você entender o contexto:

– Primeiro de tudo. Aprender o que o mercado realmente é.

– Aprender sobre mim. Minhas limitações, minhas crenças sobre mercado, sobre day trade, sobre direção de preço, sobre estratégias operacionais, etc…

– Aprender a ler o mercado de forma objetiva e sem viés (aperfeiçoar Tape Reading / Leitura de Fluxo das Ordens)

– Treinar a leitura até perceber como os demais players operam. Aprender mais sobre mercado e sobre as estratégias dos demais players (aprender as regras do jogo)

– Identificar uma oportunidade real em cima das estratégias dos demais players (aprender o metajogo)

– Treinar agilidade

– Estabelecer metas, começar pequeno e só aumentar quando tiver consistência.

– Treinar, treinar e treinar.

– Criar um “processo” para identificar erros e corrigi-los. (diário de trades, gravar o mercado e visualizar)

Esses são os passos recomendados. Obviamente que de forma bem resumida.

Voltando ao assunto central deste texto, eu estava na minha segunda ou terceira semana de day trade. Estava fazendo tudo certo, operando com metas, lote pequeno, seguindo o fluxo das ordens, buscando só operar quando tinha uma oportunidade real, etc… Confesso que fui muito bem nos primeiros dias. Batia as metas com frequência bem maior do que stopava o dia. Estava positivo no período. Sinceramente isso significa pouco, pois, os resultados dos primeiros dias não têm ligação com seu sucesso no futuro. De qualquer forma é sempre bom começar com o pé direito, rs.

Estava tudo fluindo bem até que….Até que o mercado correu e não stopei uma operação que havia feito. Como assim correu? Eu me posicionei objetivamente na venda (não lembro o motivador da entrada), mas veio uma boletada de compra rápida contra minha posição e eu não tive agilidade para stopar.

Bom, já da para imaginar né… Depois da boletada contra minha posição, eu podia clicar e assumir uma perda maior que eu tinha pré estabelecido (ou maior que uma perda normal). Eu decidi “esperar” para ver o que iria acontecer após a boletada. E adivinhe o que veio? Outra boletada de compra. Dessa vez menor, mas o que estava ruim ficou pior.

Mais uma vez eu pensei, vou esperar o próximo negócio para decidir se stopo ou seguro. Bom, o fato é que não veio outra boletada contra e eu segurei. O mercado começou a ceder um pouco (a meu favor, mas eu ainda estava perdendo na operação), só que veio mais uma boletada de compra (do além) e a coisa começou a ficar feia. Ai eu lembrei, opa, porque não vender mais? Obviamente sei que médio é ruim, mas pensei, se o mercado der uma indicação de venda eu vendo. É como se eu tivesse fora do mercado tomando uma decisão nova. E de fato fiz. O mercado deu parada, o comprador cessou e vendi mais. Juro que não lembro se o mercado cedeu uns ticks a meu favor, mas o fato é que essa coisa de subir e fazer médio se repetiu mais 20 vezes.
É ISSO MESMO: 20 X. Eu vendi em todas as paradas da alta.

Precisa contar mais alguma coisa?

Imaginem o meu resultado. Obvio que devolvi tudo que tinha ganho nos dias anteriores.

No final do dia eu pensei, o que fiz de errado? É muito fácil perceber que meu erro foi não ter tomado a decisão de clicar para stopar quando a operação de venda mostrou que não estava certa. E quando foi isso? Foi logo depois da primeira boletada contra minha posição. Talvez na segunda boletada (juro que não lembro exatamente o que me motivou entrar, portanto, não posso afirmar objetivamente em qual cenário deveria sair). Bom, coloquei a cabeça no lugar, me perdoei pelo erro e vim operar no dia seguinte focado no processo. Repare, eu não foquei em não fazer médio. Eu foquei no processo. É diferente!

Nos demais dias, voltei a operar certo. Lia o mercado, identificava oportunidades reais e clicava para entrar. Clicava para sair no gain logo que percebia que o “momentum” (movimento contínuo de ticks) tinha acabado e clicava para stopar quando as variáveis que eu considerava para entrar não estivessem mais presentes. Fiz isso e deu certo. Vários dias.

Bom, um belo dia vacilei por alguns segundos (hesitei em stopar por esperar para ver o próximo tick) e a história anterior se repetiu… É meu amigo, ela se repetiu e sai com mais um “preju” daqueles. Mais uma vez anotei meu erro e foquei em tomar ações para melhorar…

Só que dessa vez foi um pouco diferente… Era a segunda grande perda (para o tamanho do lote) em 2 meses… Por mais que eu tivesse certeza de que estava no caminho certo e por mais que eu soubesse o que precisava arrumar eu comecei a “achar coisa onde não tinha”.

Sabe quando você sabe que esta querendo transmitir a culpa para o azar? Bom era o que eu aparentemente estava fazendo… Eu cheguei em casa neste dia e quando fui tomar banho lembrei que eu estava usando uma cueca amarela.

Minha mulher me dá uma cueca amarela todo ano para passar a virada. Ela diz que dá sorte…

Bom, só que eu raramente uso a cueca amarela e lembrei que nos dias de ambas as perdas eu estava com a cueca amarela.

Você pode imaginar né… Mesmo sabendo que uma coisa não tem nada haver com outra eu criei essa “crença” de que se eu usar cueca amarela para operar eu vou tomar prejú…

Nunca mais usei cueca amarela (para operar)…

E sabe por quê? Por que cada vez que eu olhava na gaveta e via a cueca amarela eu lembrava daqueles dias… Mesmo sabendo e reconhecendo que não tem ligação, eu sentia receio de acontecer algo que fugisse do meu controle…

Se eu fosse operar com receio, certamente eu não estaria no estado mental propício, e qualquer probleminha poderia se transformar num problemão…
Por um bom tempo eu pensei que só eu tinha essas manias… Até contar isso para outros traders…Segundo eles, se ganhassem num dia, eles mantinham a calça jeans todos os dias até perder…rs

Cada louco com sua mania!!! Mas quer saber a moral da história?

Quando você abre a possibilidade mental de perder, você ativa os mecanismos para o seu cérebro te entregar aquilo que mentaliza. Se você mentaliza medo, você esta propício a enxergar e perceber medo. Se mentalizar confiança você dará indicações positivas ao seu cérebro.

É tudo uma questão de confiança… A confiança não vem do mercado, ela vem de você… A sensação de confiança (ou estado mental de consistência, que é o adequado para operar) vem exclusivamente de como você está enxergando o mundo… O mercado não vai te dar confiança, você tem que estar confiante para operar…

Só assim você não se abala com perdas, só assim você não espera que o mercado preencha suas expectativas, e só assim você se rende ao fluxo.

Então é isso aí… espero que tenha gostado do artigo!

Grande Abraço e Atitude Vencedora,
André Antunes