DICA PARA GRAFISTAS QUE ESTÃO EVOLUINDO NO TAPE READING

COMO LIDAR COM OPORTUNIDADES QUE VOCÊ NÃO PEGOU
23 de abril de 2019
Como evoluir na análise do fluxo de ordens
SENSIBILIDADE NA ANÁLISE DE FLUXO DE ORDENS
27 de maio de 2019

Você que opera analisando gráficos, já esteve diante da seguinte situação: o Mercado sinalizou um suporte ou uma resistência, digamos no 8,0, e está ali negociando a 4,0. Você sente que o movimento tem força para romper o 8,0, mas não entrou na operação porque o rompimento só estaria confirmado no 8,5. O Mercado ganha força como você havia notado, mas ao romper o 8,0, ele não desenvolve muito e vai apenas até o 9,0 ou 9,5.

Não fica uma sensação de frustração? Você sentiu que o mercado ganhou força, poderia ter comprado desde o 4,0 ou 4,5, mas somente após a confirmação do rompimento no 8,5, você entrou na operação. Entre a sua percepção, até a entrada na operação, olha quanto dinheiro você deixou na mesa!

Se você for um Grafista, calma, não há nada de errado no seu operacional. Uma das variáveis que compõe a Análise Gráfica é a confirmação do movimento. Sendo assim, não há razão para alterar sua forma de atuação.

Agora, se você está ajustando o seu operacional, acrescentando variáveis de Tape Reading, algumas considerações devem ser feitas.

A confirmação no Tape Reading acompanha a percepção da mudança no padrão de atuação

Quando você passa a analisar variáveis de fluxo de ordens, você deixa de ler o mercado apenas pelo comportamento do preço. Você passa a analisar a força dos movimentos pelo grau de interesse que os demais participantes do mercado demonstram em cima da liquidez disponível naquele nível de preço. Em outras palavras, a força de um movimento é medida no quão rápido os players consomem os lotes ofertados na compra/venda e se esse apetite se mantém em mais de um nível de preço.

Sendo assim, podemos dizer que inexiste confirmação no Tape Reading, porque esta é inerente à mudança de comportamento no padrão de negociação do mercado. No exemplo anterior, é provável que você notasse uma mudança atípica no padrão de negociação, com players absorvendo a venda ou boletando lotes grandes na compra já no 4,0 ou 4,5. Essa mudança no padrão de negociação, aliada à persistência da atuação (quando digo persistência, me refiro à continuidade da agressão em mais de um nível de preço), faz com que você assuma o risco de atuar já na origem do movimento, sem a necessidade de ter de esperar o rompimento de um eventual suporte ou resistência.

O mais importante, no Tape Reading, não é o preço em si. É a presença de um grande player demonstrando interesse naquele preço ou naquela faixa de preço. Essa atuação persistente com potencial para deslocar preço é o item mais importante na hora de decidir se abrimos ou não uma posição no mercado.

Tire sua “muleta” da tela por, pelo menos, 15 dias

Não há como negar o acréscimo de resultado que o Tape Reading agrega no operacional do trader. No exemplo citado, um trader de Fluxo teria experimentado um ganho de 5 a 6 pontos, ao passo que o Grafista teria de se contentar com apenas 1.

Muitas pessoas me perguntam como aprender essas variáveis de fluxo e esta é a razão deste artigo. Sei que serei criticado por isso, mas a forma mais eficaz de incorporar esses conceitos é abrindo mão do gráfico, por pelo menos 15 dias, e se forçar a ler o mercado através das ferramentas-mãe do Tape Reading (book de ofertas e histórico de negócios).

Eu costumo comprar esse desconforto inicial no Tape Reading a como se a pessoa estivesse aprendendo um novo idioma: se ela for para uma cidade onde há muitos brasileiros, é provável que o aprendizado dessa nova língua não seja tão eficaz, porque ela tem em mãos uma rota de fuga, uma muleta para se apoiar. Agora, se ela for para uma cidade com poucos brasileiros, ou se estiver hospedada na casa de estrangeiros, ela não terá outra opção senão se render ao novo idioma. O cérebro dela não terá outra alternativa a não ser se adaptar à realidade e buscar mecanismos para sobreviver.

Quem é jogado no limbo do Tape Reading experimenta uma sensação muito parecida, porque de tanto olhar para a tela, o desconforto por ela gerado se transforma em fonte de informação.

Daí para frente, de cego você passa a ter olhos de águia, pois passa a enxergar dezenas de oportunidades que antes eram imperceptíveis. E o principal: passará a pegar movimentos já na origem, isto é, a operação já nasce vencedora (por exemplo, você compra a 4,0, o mercado já está 4,5 e tickando a favor da sua posição. Dá a impressão de que estavam apenas aguardando a sua entrada, para fazer o movimento deslanchar).

Além disso, você perceberá que está errado mais rapidamente, o que o fará stopar mais curto, reduzindo o estresse de ver o mercando vindo contra a sua posição.

Não estou dizendo que não haverá trauma quando você tirar o gráfico. Sei que não será fácil, mas é o tipo de dor que vale a pena passar, por conta dos benefícios que você tem a ganhar com o Tape Reading.

Espero que tenha gostado de mais este artigo e fica aqui o convite para você experimentar o Tape Reading.  Conte comigo e com conteúdo disponível pela Scalper nessa jornada.

Grande Abraço e Atitude Vencedora Sempre!
André Antunes

E se você tem interesse em conhecer mais, recomendo que Matricule-se agora mesmo no Programa Gratuito Formação de Trader

INSCREVA-SE GRATUITAMENTE NA FORMAÇÃO DE TRADER