o trade de 1 bilhão
O TRADE DE 1 BILHÃO
19 de setembro de 2019
opções de ações
O QUE SÃO OPÇÕES DE AÇÕES?
24 de setembro de 2019
Como operar DI

Você já pensou em operar a taxa de juros? Se não pensou, saiba que isso é possível de ser feito através de um contrato futuro, um derivativo do DI (Depósitos interfinanceiros), que inclusive é um dos melhores ativos para se operar no day trade, devido, principalmente, à sua grande liquidez. Entretanto, algumas dúvidas podem surgir em relação à maneira correta de operar esse ativo. Por isso, neste artigo iremos explicar tudo o que você precisa saber sobre como operar DI.

Como funcionam os contratos de DI

            O contrato de DI é um contrato futuro que tem como base a taxa de juros praticada nos depósitos interfinanceiros realizados entre os bancos. Esses depósitos interfinanceiros são, resumidamente, empréstimos de curto prazo – geralmente de apenas 1 dia – que as instituições financeiras fazem entre si para possibilitar o fechamento de caixa da Instituição. Como contrapartida do empréstimo, a instituição tomadora emite um título de renda fixa em favor do outro banco, com uma determinada taxa de juros. A taxa DI é obtida através do cálculo da média ponderada entre as diferentes taxas de juros praticadas nesse tipo de empréstimo, quando é então divulgada pela B3.

            Por definição, contrato futuro é um derivativo, ou seja, um ativo que deriva o seu valor de outro ativo financeiro, seja ele um índice ou qualquer outro valor com condições suficientes de previsibilidade. Assim, quando opera o contrato futuro de DI, o trader na verdade busca o ganho com a possível diferença na taxa DI entre o dia da aquisição e o dia do vencimento do contrato.

            Um contrato padrão de DI tem um valor total de R$ 100.000 na data de vencimento, ou 100.000 pontos. O valor do contrato no momento de negociação é obtido trazendo o valor do vencimento a valor presente, mais a aplicação da taxa pré-fixada (divulgada de modo consolidado para o ano inteiro), ajustada ao número efetivo de dias entre o vencimento e a negociação, tendo como base 252 dias úteis.

            Por exemplo, imaginemos um banco XYZ, emitindo um título de DI com taxa de juros de 6% ao ano, em 1º de outubro de 2019, com vencimento em 1º de março de 2020.

            Sabendo que o valor no vencimento é de R$ 100.000, calcularemos o valor presente pela seguinte fórmula:

Valor atual = 100.000 / (1 + Taxa Pré equivalente ao DI Futuro % a.a.) ^ (dias úteis/252)

Nesse caso,

Valor atual = 100.000/ (1+ 6%) ^ (110/252) = 97.494,39

Nesse exemplo, contrato de DI teria um valor atual de R$ 97.494,39.

           Entendido isso, resta saber como o trader pode ganhar dinheiro operando DI. Para isso, precisamos entender a mecânica dos ajustes diários no DI. Basicamente, o valor dos contratos é ajustado diariamente em função da variação na taxa DI praticada. O investidor que mantém a sua posição até o vencimento, portanto, recebe ou faz pagamentos de acordo com essa variação diária.

           Assim, usando o exemplo anterior, imagine que a taxa DI tenha variado, durante aquele período, de 6% para 6,5%. Nesse caso, no vencimento, o investidor receberia 100.208,38 ao invés dos 100.000, pois:

97.494,39 x (1,06) ^(110/252) = 100.208,38.

           O day trader, entretanto, não irá reter o contrato até o vencimento. O objetivo é especular e ganhar dinheiro em cima das variações na taxa de juros que ocorrem ao longo do pregão, o que o livra do risco de ficar exposto a uma posição por um longo período. Lembrando que, caso não encerre as operações no mesmo dia, a posição que ficar em aberto sofrerá ajuste diário e será preciso ter capital disponível para saldar eventuais débitos. É por isso que recomendamos que o trader inicie e encerre a operação no mesmo dia.  O DI futuro tem como grande vantagem a liquidez disponível, já que é um mercado com presença obrigatória de grandes players movimentando quantias significativas: os grandes bancos. Essa característica também o torna um excelente ativo para aplicar o Tape Reading, sendo, junto com o dólar, um dos ativos mais populares entre os day traders.