Artigos

COMO CONCILIAR TAPE READING COM PRICE ACTION

Olá, eu sou o André Antunes e o artigo de hoje se destina especialmente àqueles que operam Price Action.

Para quem não conhece, Price Action é uma forma de atuar no mercado olhando o gráfico sem nenhum tipo de indicador. Apenas se estuda a movimentação no preço e se observa os padrões de candlesticks que vão se formando.

O grande problema de quem opera Price Action é a questão da passividade perante o mercado. Praticamente você atua definindo previamente os pontos de entrada, stop e gain e não faz mais nada a partir daí. Esse “não fazer nada” é o que eu chamo de passividade. E qual a consequência disso?

Muitas vezes o mercado vem, pega sua entrada e até anda um pouco a favor, mas depois reverte e acaba te stopando. Ou então você sente que o movimento está andando forte, percebe que até dá para alongar um pouco mais o trade, mas zera rápido porque o ponto de realização, segundo o padrão gráfico, é curto e você o faz em prol da disciplina de sua estratégia.

Justamente para sanar esses tipos de dificuldades é que muitos traders acabam inserindo a Análise de Fluxo de Ordens em seu operacional. Ocorre que se você não inverter a ordem de importância entre as técnicas, você experimentará sim um aumento na assertividade de suas operações, mas a Análise de Fluxo de Ordens pouco lhe ajudará no conflito emocional causado pela passividade.

A principal razão deste fato reside na diferença de timing entre a Análise de Fluxo de Ordens e o Price Action. A maior parte dos traders usa o fluxo de ordens como validador do ponto de entrada no Price Action. Exemplo: o mercado sinaliza uma resistência no 7,0. De acordo com o Price Action, uma vez rompido, você entraria a 7,5. Mas pode ocorrer do ponto ser rompido apenas por mera marcação de mercado. Então você espera a entrada de fluxo real e persistente a 7,5 para aí sim abrir uma posição no mercado.

Isto até pode ocorrer, mas falo com absoluta convicção de que seria uma exceção ou mera coincidência. Regra geral, análise de fluxo de ordens e Price Action acabam sinalizando pontos de entrada distintos. No exemplo acima, é bem provável que o ponto de entrada pela análise de fluxo de ordens teria sido a 4,0 ou a 5,0 e você não tem ideia até onde esse movimento teria força para continuar deslocando preço. Ou seja, novamente você estaria passivo no mercado e a sensação de incerteza inevitavelmente estaria presente.

Mude a ordem de importância

Então não é possível conciliar Price Action com Análise de Fluxo de Ordens, André?

De forma alguma, é plenamente possível conciliar ambas as técnicas, desde que você mude o papel de cada uma em termos de importância dentro do seu operacional.

Até agora somente abordei situações onde o motivador da entrada provém do Price Action e a Análise de Fluxo de Ordens apenas validaria o início da operação. Mas se a sua intenção for obter o máximo de proveito da união de ambas as técnicas, é preciso mudar a ordem dos fatores, isto é, o motivador da entrada passaria a ser o Fluxo de Ordens e o Price Action validaria o contexto.

Quando você aprende as variáveis fundamentais da Análise de Fluxo de Ordens, você passa a analisar o mercado não pelo preço, mas pela força dos eventos que fazem o preço se movimentar. Por exemplo: você enxerga uma entrada de fluxo persistente no 4,0 (quando digo fluxo persistente, me refiro a agressões de compra nos lotes ofertados pelo vendedor a partir do 4,0, onde o comprador aceita pagar o preço pedido por ele). Ao consumirem a totalidade dos lotes ofertados nesse nível preço, o apetite comprador segue intenso e agora agridem o 4,5 (no exemplo em questão, estou falando do dólar, que é o um ativo cuja oscilação mínima é 0,5 em 0,5 ponto). Aqui temos um bom indício para atuar na compra.

Perceba: o motivador da entrada foi o fluxo de ordens. O Price Action, neste caso, seria a zona de intensa negociação onde se deu a entrada do fluxo comprador. Pode ser que pelo Price Action, o preço de entrada seria no 2,0 ou no 1,0, mas se o mercado entendeu que a 4,0 a compra já se mostrava interessante, foi neste nível de preço que se iniciou o movimento. Portanto, o Price Action definiria as possíveis faixas de preço onde o mercado trabalharia a posição, mas o ponto de entrada, o motivador principal do clique, quem dá é o fluxo de ordens.

Certifique-se de que o motivador da entrada tenha valor para o coletivo do mercado

E por que defendo que o fluxo de ordens seja o motivador principal de sua entrada?

Bem, isso envolve um pouco do conceito de agressão que já trabalhei em artigos passados. De forma resumida, agressão é o ato de fechar o negócio, aceitando o preço ofertado pela parte contrária. Quando o comprador aceita pagar o preço pedido pelo vendedor, a agressão é de compra. Quando o vendedor aceita vender no preço que o comprador está disposto a pagar, dizemos que a agressão é de venda.

Os preços só mudam de patamar quando dois ou mais participantes consomem integralmente a quantidade de lotes ofertada em dois ou mais níveis de preço. Logo, o mercado se move no coletivo e para que sua operação seja positiva é necessário que os demais participantes aceitem continuar pagando mais caro (no caso de uma operação de compra) ou vendendo mais barato (no caso de uma operação de venda), caso contrário não haverá deslocamento de preço.

Por isso, é muito importante que daqui pra frente você questione se o motivador da entrada é forte o suficiente para fazer os demais participantes atuarem no mercado. E sendo ainda mais específico, questione se a razão é forte o bastante para atrair players Institucionais, que são os que efetivamente têm poder financeiro para deslocar preço. Análise de fluxo de ordens é isso: observar o comportamento dos demais players e focar em quem tem potencial para deslocar preço.

Fique certo de que se você fizer da análise de fluxo de ordens o motivo principal da sua entrada e o Price Action o contexto, naturalmente o nível de assertividade de suas operações aumentará, pois você atuará nos movimentos em que está presente o coletivo do mercado.

Espero que tenha gostado de mais esta dica. Caso não tenha entendido algum ponto, não deixe de entrar em contato, pois sua dúvida nos ajuda a preparar conteúdos ainda melhores.

Grande Abraço e Atitude Vencedora Sempre!
André Antunes

Ver Mais

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Botão Voltar ao topo