AS 2 PRINCIPAIS DICAS PARA OPERAR SCALPING

Afinal, Existem Padrões No Mercado?
Afinal, Existem Padrões No Mercado?
9 de abril de 2019
COMO LIDAR COM OPORTUNIDADES QUE VOCÊ NÃO PEGOU
23 de abril de 2019
O atributo alt desta imagem está vazio. O nome do arquivo é 3-As-2-Principais-Dicas-Para-Operar-Scalping-Face-1-1024x536.jpg

No artigo de hoje falarei de duas dicas importantes para quem, como eu, gosta de operar Scalping. Por ser um tema avançado, não se preocupe se você não entender de imediato. Mantenha o processo de aprimoramento em análise de fluxo de ordens e, após 1 ou 2 meses, leia novamente este artigo. Tenho certeza de que muitas coisas até então abstratas serão melhor compreendidas.

Bom, para quem não está familiarizado com o Scalping, este é um estilo operacional em que o trader procura atuar em movimentos curtos de mercado gerados pelo impacto da atuação persistente de um grande player. Essa é a premissa básica do Scalping: a presença de um parceiro forte atuando no movimento.

Porém, antes de tratarmos especificamente das dicas, vou descrever o cenário condicional base que usarei de referência para as futuras explicações.

Sendo assim, imagine um determinado momento em que o dólar está ali, parado, oscilando pouco, em uma faixa de uns 4 ticks (2 pontos), do 79,0 ao 81,0. De repente, surge um player disposto a movimentar o mercado e começa a agredir em sequência o 81,0, o 81,5, o 82,0, o 82,5 e o 83,0, consumindo toda a liquidez presente nesses níveis de preço e fazendo do 83,0 comprador com pouco lote. Em seguida, agridem o 83,0, ele volta a ser vendedor e agora surge alguém vendendo a 82,5 e 82,0, sendo que este último preço vira vendedor com lote expressivo. Como um scalper interpretaria esse movimento?

Certamente, um scalper diria que o movimento de alta se encerrou no 83,0 e a partir do momento em que 82,2 virou vendedor com lote, um novo movimento se iniciou no mercado, mas agora na venda.

1ª Dica: identifique o início e o fim do movimento

Conforme a situação e os conceitos anteriormente expostos, podemos afirmar que o início do movimento se deu na primeira agressão que “varreu” a liquidez disponível no 81,0. A confirmação pode ser percebida na sequência de eventos posteriores que fez o preço se deslocar, ininterruptamente, até o 83,0 (2,0 pontos ou 4 ticks em sequência). Mas o que me fez concluir que o fim do movimento se deu no 83,0?

Se você chegou a essa conclusão apenas porque não tomaram a 83,5, você está enganado. O que nos dá convicção de que o fim do movimento se deu no 83,0 é a mudança de momentum que o mercado vem apresentar. E isso só é perceptível quando vira lote vendedor expressivo no 82,0. Esse evento, além de confirmar a máxima do movimento, também define o término, pois é a partir deste instante que o mercado confirma a mudança no padrão de atuação. Isto é, é a partir deste momento que o lado mais forte passa a ser o vendedor.

Para o scalper, o simples deslocamento de preço não é suficiente para definir o início e o fim de um movimento. Para que um deslocamento de preço seja considerado um movimento de mercado, é preciso que tenha ocorrido em razão de eventos relevantes, isto é, por força da atuação persistente de um grande player.

Da mesma forma, só é possível dizer que um movimento terminou quando há um novo evento relevante, ou seja, o aparecimento de player novo, atuando de forma persistente na ponta contrária, fato este que interrompe propositalmente o deslocamento de preço que vinha ocorrendo.

Basicamente, esta é a forma de um scalper enxergar o mercado: separando-o em movimentos onde há ou não a presença de grandes players provocando o deslocamento de preço.

E, detalhe: normalmente, o fim de um movimento prévio corrobora com o início de um novo. Hipótese esta que muitas vezes mostra ser uma excelente oportunidade operacional: a inversão de fluxo. Mas este é um tema que trabalharei em outro momento.

2ª Dica: tenha sempre em mente o “evento origem”

Aprofundando um pouco o conceito de “evento”, podemos dizer que evento é todo fato que tem potencial para chamar a atenção dos demais players e, eventualmente, levá-los a atuar no mercado. São exemplos de eventos: uma agressão integral de fila, boletada para dentro do book, ordens icebergs que seguram o mercado, cancelamento de lote expressivo (blefe) etc. Todos esses eventos despertam a atenção dos players que atuam no mercado e, dependendo do contexto, sua ocorrência os levam a agir de acordo com as perspectivas que possuem a respeito do cenário macroeconômico.

Contudo, um certo evento merece atenção no scalping: o evento origem. Este evento é importante porque é ele quem marca a origem do movimento. Mas como identificamos o evento origem?

O evento origem é aquele que desencadeia as demais reações do mercado. Logo, podemos afirmar que o evento origem é aquele que puxa a fila do ritmo de negociação, mudando o mercado de patamar. No exemplo que demos, podemos dizer que o evento origem foi a primeira agressão integral de fila no 81,0.

E por que saber o evento origem é tão importante no scalping?

Porque é através do evento origem que notamos a mudança no padrão de negociação do mercado, sendo então o melhor indicativo da presença de um parceiro no movimento. E se temos parceiro forte atuando, são grandes as chances de estarmos diante de uma oportunidade de scalping.

Bem, como eu disse, o tema de hoje foi um pouco mais avançado. Então, se você está iniciando em análise de fluxo de ordens, volte a ler este artigo daqui a 1 ou dois 2 meses de prática, certamente sua compreensão será melhor. Da mesma forma, tenha em mente que o tema aqui tratado diz respeito à melhoria da leitura de mercado e não sobre a hora certa de comprar/vender.

Grande Abraço e Atitude Vencedora Sempre!
André Antunes

E se você tem interesse em conhecer mais, recomendo que Matricule-se agora mesmo no Programa Gratuito Formação de Trader

INSCREVA-SE GRATUITAMENTE NA FORMAÇÃO DE TRADER