Google

Guia definitivo sobre Swap Cambial

por

Muitas pessoas têm dúvidas sobre o que é o Swap Cambial e sobre como ele impacta no mercado futuro.

A falta de informação em linguagem acessível dificulta o entendimento e se você não souber o real motivo do Banco Central utilizar o swap, você pode ser levado a formar opiniões erradas.

Nós criamos esse guia para você entender:

- O que é Swap Cambial

- Qual diferença do Swap tradicional para o Reverso

- Por que o BC usa Swaps?

- Impacto dos Swaps no Dólar Futuro

- Quais são os 3 momentos em que os swaps nos geram oportunidades

- Onde consultar os swaps

Portanto, se você quiser entender de uma vez por todos como interpretar e como tirar proveito dos swaps cambiais eu te convido a ler esse artigo até o final.


O que é Swap Cambial?

Swap é um termo inglês que significa troca de uma rentabilidade futura por outra com o acerto da diferença a pagar ou a receber no vencimento do contrato.

Existem vários tipos de swaps e aqui vamos explorar o swap cambial utilizado pelo BC que é chamado de “Contrato de Swap Cambial com Ajuste Periódico Baseado em Operações Compromissadas de Um Dia” (SCS).

Nesse tipo de swap o que se busca calcular é a diferença entre duas taxas:


-
1º Taxa Selic (não a taxa do Copom, e sim a taxa praticada nas transações diárias entre bancos);


-
2º a variação da taxa de câmbio (cotação de venda – PTAX800).

Dessa forma, durante o período de vigência do contrato, alguém fica ativo na Selic e passivo na variação cambial e a outra parte fica passivo na Selic e Ativo na variação cambial.

Segue um exemplo grosseiro:

Digamos que num swap de um ano, a taxa Selic nesse período renda 6,75%. (valor ganho por aplicar dinheiro nessa taxa).

Digamos que nesse período o dólar (ptax 800 – ponta da venda) suba (ou desvalorize) 5%. (dinheiro ganho por ficar aplicado em dólar).

Concorda que a Selic subiu mais que o Dólar nesse período?

Portanto quem estiver ativo em Selic vai receber (do outro participante) essa diferença.

Entretanto, se a variação cambial for superior aos 6,75% no período, quem estiver ativo em Selic (e passivo em variação cambial) será obrigado a pagar a diferença para outra parte.

 

Como eu sei quem é ativo e quem é passivo na Selic e no Câmbio?

O BC autoriza alguns bancos a operar no mercado cambial e eles são chamados de Dealers.

Confira a relação: http://www4.bcb.gov.br/pec/dealers/principal.asp

Por definição, quem compra o swap está ativo em Selic e passivo em variação cambial.

Assim como que vende o swap está passivo em Selic e ativo em variação cambial.

É por isso que existem 2 tipos de leilões realizados pelo Banco Central:

- Leilão de Swap tradicional – O Banco Central compra o swap e, portanto fica ativo em Selic e passivo e variação cambial.

- Leilão de Swap Reverso – O Banco Central vende o swap e, portanto fica passivo em Selic e ativo e variação cambial.

 

Leilão Tradicional de Swap

Quando o BC compra o swap dos Dealers (bancos autorizados a operar), significa que ele vai ganhar a Selic no período (por isso no nome “ativo”) e vai ter que pagar a variação cambial (por isso no nome “passivo”).

Dessa forma podemos afirmar que o BC ganha dinheiro se o câmbio subir menos que a Selic no período. O que é a mesma coisa que dizer que o BC está apostado na queda do dólar.

Se o Banco Central está apostado na queda do Dólar (passivo), o Dealer que assumiu a posição contrária na operação acaba assumindo uma exposição comprada em dólar (Dealer está ativo).

Para o Banco Central, se o câmbio subir menos que os juros (Selic) ele recebe a diferença em dinheiro do Dealer no final do contrato, mas se o dólar subir mais que os juros ele paga essa diferença para o Dealer.

É muito importante entender que o Banco Central está disposto a aceitar esse risco, justamente porque ele está formulando política, mas o Dealer nem sempre está disposto a assumir esse risco e aqui está o ponto central do swap.

Quando o BC compra o swap do Dealer, esses últimos estão expostos na variação cambial, ou seja, eles perdem se o dólar cair. Dessa forma, para se proteger dessa exposição os Dealers vendem dólares no mercado futuro e mantém essas vendas até o vencimento do swap.

É nesse momento que o Banco Central consegue impactar os preços no mercado de dólar. Ao comprar o swap, ele assume um contrato com o Dealer, que até então não impacta o mercado.

A busca por proteção do Dealer é que impacta as cotações!

 

Leilão de Swap Reverso

No leilão reverso o BC atua como vendedor do swap, o que significa que fica passivo em Selic e ativo em variação cambial. (o contrato é o mesmo e o que muda é se o BC está comprado ou vendido no swap).

Dessa forma podemos afirmar que o BC ganha dinheiro se o câmbio subir mais que a Selic no período. O que é a mesma coisa que dizer que o BC está apostado na alta do dólar.

Se o Banco Central está apostado na alta do Dólar (ativo), o Dealer que assumiu a posição contrária na operação acaba assumindo uma exposição vendida em dólar (Dealer está passivo na variação cambial).

Para o Banco Central, se o câmbio subir mais que os juros (Selic) ele recebe a diferença em dinheiro do Dealer no final do contrato, mas se o dólar subir menos que os juros ele paga essa diferença para o Dealer.

Quando o BC vende o swap para o Dealer, esses últimos estão expostos na variação cambial, ou seja, eles perdem se o dólar subir. Dessa forma, para se proteger dessa exposição os Dealers compram dólares no mercado futuro.

É por isso que quando o BC anuncia swap reverso, as cotações do dólar futuro tendem ser pressionadas para cima… São os Dealers fazendo hedge de suas posições.

 

Por que o Banco Central usa Swaps?

O principal motivo pelo qual o Banco Central utiliza swaps é para suavizar a oscilação da moeda e garantir estabilidade e previsibilidade de preços.

Quando a taxa de câmbio sobre rapidamente ou atinge patamares que o BC entende exagerado, o BC pode a seu critério fazer swap tradicional, ou seja, comprar swap e fica apostado na queda do dólar.

O fluxo de vendas no mercado futuro é gerado porque os Dealers (contraparte do swap) vendem dólares no mercado futuro para se proteger da exposição comprada que abaram ficando por estarem vendidos no swap.

Da mesma forma, quando o BC entende que o câmbio cai demais (valorizou) ele pode fazer swap reverso, ou seja, vender os swaps e r apostado na alta do dólar.

O fluxo de compras no mercado é gerado porque os Dealers (contraparte do swap) compram dólares no mercado futuro para se proteger da exposição vendida que abaram ficando por estarem comprados no swap.

O swap é apenas uma dentre os 3 arsenais que o BC tem para impactar no cambio e fazer política. Outras atuações como venda direta no mercado cambial e leilões de linha também podem ser feitos, mas são usados para outras situações.

Por exemplo, o leilão de linha com compromisso de recompra (utilizado semanas atrás) é feito quando o BC entende que existe falta pontual de dólar no mercado. Isso é muito comum em dezembro.

 

Impacto dos Swaps no Dólar Futuro

Existem diversos fatores que definem o impacto dos swaps na formação dos preços.

1º Tamanho e frequência dos Swaps

Quanto maior o valor dos swaps, mais lotes os Dealers vão ter que comprar ou vender no mercado futuro para travarem (fazer hedge) de suas exposições.

2º Aceitação dos Swaps

Existem diversos critérios de aceitação e ficaria complexo explicar todos. O que você precisa entender que nem sempre o mercado aceita todas as condições do BC (e vise versa) e essa aceitação ou não das condições do swap também impacta nos preços.

3º Efeito surpresa X anúncio antecipado

O BC pode a seu critério avisar com antecedência sobre um leilão de swap ou fazer de forma surpresa. Obviamente que leilões não programados impactam de forma muito mais expressiva os preços, porque os Dealers não estão preparados.

Quando um leilão é avisado com antecedência os Dealers podem pressionar as cotações (durante a janela do swap) forçando o BC ser obrigado a fazer um swap numa condição pior.

4º Fluxo do dia (e cenário)

Quando o BC faz um swap, geralmente o mercado está influenciado por algum fluxo atípico na compra ou na venda em função do cenário. Dessa forma, cuidado ao avaliar o efeito do swap nos preços, porque naquele dia (ou naquele momento) há mais fatores influenciando as cotações.

5º Avaliação dos Dealers

Outro ponto muito importante (e pouco percebido) é que os Dealers avaliam o cenário e podem decidir ficar 100% protegidos contra o swap ou não. As propostas que os Dealers enviam para o BC também variam em função de suas avaliações e, portanto são determinantes para o grau de impacto nos preços.

6º Horários Impacto dos Swaps no Mercado

Os swaps costumam ter 3 janelas importantes:

- anúncio (momento da publicação da informação de que haverá o swap)

- janela do swap (momento em que o BC faz e recebe as propostas)

- resultado (momento em que o BC publica o resultado das propostas)

No anúncio, os Dealers costumam se antecipar (se o swap é reverso eles compram dólar e se o swap é tradicional eles vendem dólar no mercado futuro). Isso é não regra, mas é o que geralmente ocorre!

Durante a janela do swap, não é muito comum ter apostas agressivas.

E especialmente no resultado, os Dealers ficam sabendo se suas propostas foram aceitas ou não (e a taxa de corte da operação) e são obrigados a ajustar suas posições de hedge.

O movimento gerado pelo anúncio pode ser intensificado ou pode haver uma reversão momentânea especialmente quando o BC não aceita as propostas do mercado (ou aceita parcialmente).

 

Conclusão:

O efeito de cada swap nos preços será diferente porque existem diversas variáveis que influenciam o apetite do Dealer fazer o hedge (que é o que impacta nos preços). Dessa forma, não tente criar uma regra de como agir sempre que houver um swap.

Resumindo, não é porque o Banco Central fez um swap que os preços vão necessariamente cair ou subir (no caso de swap reverso).

Esteja preparado para essas janelas (especialmente anúncio e resultado), mantendo sempre a mente aberta para ser levado pelo fluxo de ordens.

 

Se você ainda não sabe como avaliar o fluxo de ordens, aconselhamos que faça o Curso Gratuito de Introdução ao Tape Reading”:
curso-gratuito

 

Informações úteis sobre Swaps Cambiais:

 

COMO SABER DOS SWAPS PROGRAMADOS para o dia seguinte:

1. Acesse esse link http://www.bcb.gov.br/p…/normativos/busca/buscaNormativo.asp

2. Em Conteúdo digite “swap”"

3. Selecione a data final como dia de hoje. E clique em Pesquisar.

Nestes comunicados o Banco Central divulga ao final do dia informações sobre os leilões marcados para o dia seguinte.

 

COMO SABER EM TEMPO REAL sobre leilões não agendados no dia anterior (para quem não tem agência de noticias):

1.  Deixe a página mencionada acima aberta durante o pregão e atualize frequentemente. O BC é obrigado a divulgar os leilões um pouco antes de acontecerem.

*** Para evitar atualizar a página toda hora baixe a extensão Page Monitor do Chrome:

https://chrome.google.com/…/ogeebjpdeabhncjpfhgdibjajcajepg…

 

Cronograma de vencimentos:

http://www4.bcb.gov.br/pom/demab/cronogramacambiais/vencdata_form.asp

A Scalper Trader acredita que é possível ter lucros consistentes no Day Trade. Assim, nós acreditamos que ao difundir conhecimento e habilidades específicas, estamos colaborando com o desenvolvimento dos traders.

4 Comments to Guia definitivo sobre Swap Cambial

Deixe seu comentário aqui

  1. Fala Marcio, tudo bem? Obrigado por estar aqui conosco e pelas palavras! Ficamos felizes em poder contribuir com sua evolução! Conte conosco em sua jornada! Qualquer duvida nos envie e-mail para [email protected] Atitude Vencedora Sempre!

  2. Fala Robson, tudo bem? Obrigado pelo contato e pelas palavras! Estamos juntos… Espero que nosso material possa contribuir sempre com sua evolução e desenvolvimento como trader…. Qualquer duvida nos envie e-mail para [email protected] Grande Abraço!

  3. Robson Soares

    ‘Andrés’, otima tarde!

    Parabéns mais uma vez. Didática fantástica. É uma arte passar informações complexas de forma simples. Sucesso cada vez maior para vocês. Forte abraço!!!!

    PS. Tenham certeza; essas informações estarão ajudando MUITA gente!!

  4. Márcio Steinmetz Soares

    Mais uma vez, um excelente artigo!

    Didático e claro com seus exemplos, parabéns!

    Grande abraço e atitude vencedora!